Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ministérios que vão receber R$ 4,1 bilhões ainda estão indefinidos

Governo decide liberar 4,142 bilhões de reais que cabem dentro da meta fiscal, mas quais pastas vão receber dinheiro ainda não foram escolhidas

O secretário de Orçamento Federal do Ministério do Planejamento, George Soares, disse que a destinação dos 4,142 bilhões de reais que podem ser liberados só será definida na próxima semana.

“Haverá uma reunião da junta orçamentária para discutir a alocação desse valor entre os órgãos. As prioridades serão evitar deixar passivos para o próximo governo e garantir o pagamento das contas no dia a dia dos órgãos. A lista de pedidos é superior a esse valor, mas acredito que os 4,142 bilhões de reais resolverão a maior parte das questões”, acrescentou.

Ele reafirmou que os outros 4,1 bilhões de reais de folga em relação à meta fiscal que não podem ser liberados por ultrapassarem o teto de gastos serão usados para fazer um resultado primário melhor neste ano ou para a capitalização de estatais.

O secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, disse ainda que o governo tentará igualar o limite de empenho do governo com o limite de pagamento para esse ano. “Hoje o limite de pagamento está 5 bilhões de reais abaixo do limite de empenho. Muitas vezes um ministério tem um orçamento maior para empenho, mas fica com uma limitação de pagamento, o que leva à geração excessiva de restos a pagar. Vamos acabar com essa diferença até o fim deste mês”, completou.

Segundo ele, algumas pastas devem pedir também a abertura de mais espaço para empenho, o que vai demandar a necessidade de envio ao Congresso Nacional de projetos de novos créditos orçamentários. “Avaliamos ainda a elevação de limites para o pagamento de restos a pagar de anos anteriores”, explicou.