Clique e assine a partir de 9,90/mês

Militantes atacam oleoduto da Eni na Nigéria

Por Da Redação - 5 fev 2012, 09h08

Por Tife Owalabi

Yenagoa, Nigéria (Reuters) – Um grupo militante da Nigéria do Delta do Níger disse no domingo que atacou um oleoduto de propriedade da empresa italiana Eni, onde testemunhas disseram que houve um incêndio na noite de sábado.

O comunicado enviado à imprensa disse que era do Movimento para a Emancipação do Delta do Níger (MEND), ex-principal ameaça da Nigéria militante e responsável por anos de ataques à indústria petrolífera até a anistia de 2009.

Eni não estava imediatamente disponível para comentar o assunto, mas testemunhas disseram que houve um incêndio em oleoduto da empresa Nembe bronze.

Fontes de segurança dizem que os restantes grupos do Delta do Níger não têm a capacidade de fazer o dano observado no passado, que no seu auge cortar mais de um terço da produção da OPEP-membro.

Continua após a publicidade

“No sábado, 04 de fevereiro de 1930hrs, os combatentes do Movimento para a Emancipação do Delta do Níger (MEND) atacaram e destruíram a Agip linha tronco (ENI) em latão em Bayelsa Estado na região do Delta do Níger, na Nigéria”, dizia o e-mail. “Este ataque relativamente insignificante é um lembrete de nossa presença nos riachos do delta do Níger e um sinal das coisas por vir”.

A força-tarefa militar conjunta (JTF) que operam no Delta do Níger disse que os recentes tumultos resultaram de gangues de criminosos que queriam benefícios da anistia que expirou.

“Deve-se notar que não é possível executar um programa de anistia inelástica”, Timothy Antigha, porta-voz da JTF em Bayelsa Estado, disse em reação à declaração MEND.

“Infelizmente, as pessoas que nunca fizeram parte da agitação que surgiram e que querem reivindicar anistia e seus benefícios pela força … o JTF conselhos Níger Deltans estar atento a pessoas que estão fora de enganar-los por se apropriar indevidamente a identidade do antigo liderança do MEND ao curry simpatia por seus interesses egoístas e criminal”, disse.

Bayelsa, o estado natal do presidente Goodluck Jonathan, deve realizar eleição para governador na próxima semana.

Continua após a publicidade
Publicidade