Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Milionários aproveitam crise grega para comprar ilhas

Mais recentes proprietários são os empresários Warren Buffett - o homem mais rico do mundo - e o magnata italiano Alessandro Proto

A crise na Grécia tem movimentado o mercado de vendas de ilhas para estrangeiros. De acordo com o jornal alemão “Der Spiegel”, os mais recentes proprietários desses pedaços de terras são os empresários Warren Buffett – o homem mais rico do mundo – e o empresário italiano Alessandro Proto. Ambos teriam pagado cerca de 15 milhões de dólares pela ilha de São Tomás, que tem pouco mais de 1,2 quilômetro quadrado e fica no Golfo Sarônico. O local fica a apenas 45 minutos de Atenas e pode ser acessado facilmente por barco.

Outro magnata que teria adquirido seu “pedaço de paraíso” por uma “bagatela” de 4,2 milhões de dólares é o ator americano Johnny Depp, que ficará em Stroggilo, no mar Egeu.

A Grécia possui mais de seis mil ilhas que podem ser vendidas, de acordo com a legislação, com valores revertidos para o governo. Recentemente, como uma das formas de arrecadar mais impostos, houve a inserção de uma nova taxa para quem adquirir esse tipo de terreno.

O site Private Islands Online apresenta uma lista de 11 ilhas gregas à venda. As mais “baratas” variam entre 3 milhões de dólares e 4 milhões de dólares e a mais cara delas custa 61,9 milhões de dólares.

Leia mais:

Grécia apresenta novo projeto ao Parlamento para garantir resgate

Comissão Europeia confirma empréstimo de € 7,16 bi para a Grécia

Alemães rejeitam acordo com Grécia, diz pesquisa

Caso a venda para Buffett e Proto seja confirmada, eles não seriam os primeiros conhecidos a se interessar pela região. Há alguns meses, correm boatos de que o casal hollywoodiano Angelina Jolie e Brad Pitt comprou a ilha de Gaia, para poder aproveitar as férias com seus seis filhos longe dos paparazzi. Eles teriam pagado cerca de 4,7 milhões de dólares pelo local.

Apesar de toda a discrição que os arquipélagos possam oferecer, há algumas exigências da lei para morar ou permanecer no terreno – isso porque todas as praias são consideradas públicas no país. Os novos proprietários precisam, portanto, garantir o acesso à praia para quem viaja por barco e deseja parar no local para passar um período de tempo.

(Com agência Ansa)