Clique e assine a partir de 8,90/mês

Michelin quer comprar a brasileira Sascar por R$ 1,3 bilhão

Grupo francês já anunciou aquisição de 46% das ações da empresa em mãos da GP Investments

Por Da Redação - 9 jun 2014, 10h08

A Michelin anunciou nesta segunda-feira a intenção de comprar a totalidade das ações da brasileira Sascar Participações por 440 milhões de euros (1,340 bilhão de reais). Mais cedo, o grupo francês comunicou a compra de 46% da empresa brasileira do grupo GP Investments por 260 milhões de dólares (580 milhões de reais). A venda das ações, que estavam alocadas em seu fundo GP Capital Partners V, rendeu para a empresa de investimentos um retorno de 2,6 vezes o capital inicial investido e uma TIR (taxa de retorno) estimada de 33% em dólares. O valor da transação está sujeito a eventuais ajustes, como consta no contrato entre GP e Michelin. A GP detém a fatia da Sascar desde março de 2011.

A Sascar, gestora de frota de caminhões e segurança de carga, teve uma receita de 280 milhões de reais em 2013 e registra crescimento anual de vendas em torno de 16%. A intenção da Michelin com o negócio é entrar na indústria independente de caminhões no Brasil. O grupo francês é um grande fabricante de pneus e serviços automotivos. O Itaú BBA e o banco Barclays são os assessores financeiros do processo de venda da empresa, avaliada em 1,6 bilhão de dólares (3,57 bilhões de reais).

Leia mais:

Tyson Foods anuncia que venceu brasileira em disputa pela Hillshire Brands

Abilio Diniz compra ações do Carrefour

Continua após a publicidade

A transação depende da aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). A compradora formal será a divisão financeira do Grupo Michelin, Senard et Cie, que administra todas as empresas comerciais, industriais e de pesquisa fora da França.

A Michelin também irá adquirir cerca de 80 milhões de euros de dívida, colocando o valor total da transação em 520 milhões de euros.

Em uma apresentação a investidores, a Michelin afirmou que a Sascar é a líder no mercado de gerenciamento de frotas no Brasil com participação de mercado de 23%. Acrescentou ainda que este mercado tem um grande potencial de crescimento no Brasil, uma vez que apenas 4% dos veículos de carga hoje são rastreados. A expectativa é de crescimento de 15% ao ano até 2017.

Leia ainda: Santander vende prédio histórico em Madri por US$ 361 milhões

Para “superpoderosas”, inovação é a chave do sucesso

(com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade