Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

México promove fórum para fomentar negócios com Brasil

Evento ocorrerá em São Paulo, no próximo dia 28, e terá a presença de executivos de multinacionais mexicanas, como Femsa, Claro e Bimbo

Por Da Redação 24 ago 2012, 09h09

Com o objetivo de melhorar as negociações comerciais entre Brasil e México, a Associação Empresarial México-Brasil (Asemexbra) coordenará o primeiro Fórum de Oportunidades Brasil México, que ocorrerá em São Paulo no próximo dia 28, e conta com o apoio do Consulado Geral do México em São Paulo. O evento contará com a presença de executivos de grandes empresas mexicanas no Brasil, como Femsa, Claro e Bimbo, além de economistas e empresários brasileiros.

Leia também

Governo estuda retomar negociação de acordo de livre comércio com o México

Desde o impasse comercial causado pela política de cotas estabelecida pelo Brasil para as importações de veículos do México, em março deste ano, as relações comerciais entre os países passam por certa turbulência. Por isso, tem sido difícil convencer o empresariado mexicano a investir no Brasil sem temer a insegurança jurídica evidenciada pela política de cotas. “Estamos tentando criar um espaço de diálogo amplo para todos os setores da indústria. Brasil e México são as duas maiores economias da América Latina e ficaram em descompasso por muitos anos, mas é possível reverter isso”, afirma o presidente da Asemexbra, Eduardo Ragazol.

A ampliação de investimentos de ambos os países também é um dos objetivos do encontro. Segundo a Asemexbra, empresas mexicanas investiram 26 bilhões no Brasil nos últimos dez anos, enquanto os investimentos brasileiros no México ficaram em 6 bilhões de dólares. A alta soma mexicana se deve, em grande parte, aos compromissos de investimentos da Telmex no país – a multinacional de Carlos Slim que controla a Claro, a Embratel e a Net. Contudo, é válido reiterar que as intenções do Brasil em negociar com o México tampouco foram prioridade para os últimos governos brasileiros, que estavam voltados para outros mercados, como China, Mercosul e África.

México é a bola da vez – Apesar do pouco interesse brasileiro em negociar com o vizinho do norte, a economia mexicana tem sido apontada por economistas como a nova vedete da América Latina – muito mais atrativa para investidores devido à sua alta taxa de crescimento. O país deverá terminar 2012 com um avanço de 4% no Produto Interno Bruto (PIB), enquanto o Brasil sofrerá para completar 2% de alta.

Coincidentemente, desde que o Brasil “repaginou” seu acordo de comércio de veículos com o México, em março deste ano, o jornal Financial Times tem dedicado várias de suas páginas a matérias que comparam os dados econômicos de ambos. O jornal chegou a informar, literalmente, que era hora de “esquecer o Brasil, o queridinho dos investidores internacionais. Agora é a vez do México”. Para tanto, a reportagem citou um relatório do banco Nomura que apontava o México como a maior economia da América Latina dentro de dez anos.

Continua após a publicidade
Publicidade