Clique e assine a partir de 9,90/mês

Merkel quer Tribunal de Justiça da UE na crise da dívida

A proposta da chanceler alemã, Angela Merkel, prevê que o órgão poderia exigir das economias do bloco a adaptação ao pacto de estabilidade

Por Da Redação - 24 ago 2011, 09h29

A chanceler alemã Angela Merkel quer envolver o Tribunal de Justiça da União Europeia (CJUE) na crise da dívida e opõe-se à concessão de garantias econômicas para a ajuda à Grécia. Em uma reunião com os deputados conservadores de seu partido, a União Democrata Cristã (CDU), nesta terça-feira à noite, sobre os planos de ajuda europeus aos países fortemente endividados, Merkel defendeu que a União Europeia redobre a vigilância dos orçamentos nacionais.

Caso não sejam cumpridas as regras dos déficits públicos e das dívidas públicas, o Tribunal de Justiça da União Europeia poderia exigir dos Estados que os revisassem para que fossem adaptados ao pacto de estabilidade, propôs Merkel, segundo os deputados de seu partido.

A chanceler também reiterou suas críticas às exigências da Finlândia, que quer garantias em troca da contribuição para o pacote de ajuda à Grécia. “Não acredito que seja preciso comprometer-se neste caminho”, disse, segundo participantes na reunião. A chanceler foi apoiada por seu ministro das Finanças, Wolfgang Schäuble e vários deputados.

(com Agence France-Presse)

Publicidade