Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Mercado reduz para 1,36% a previsão de crescimento do PIB em 2018

De acordo com os economistas ouvidos pelo Banco Central (BC), a inflação ficará em 4,09% neste ano, ainda dentro da meta de 4,5% do governo

O mercado financeiro revisou a expectativa do desempenho da economia, segundo o Relatório Focus. De acordo com os economistas ouvidos pelo Banco Central (BC), o país deverá crescer 1,36% em 2018. Há sete dias, a estimativa era de um avanço de 1,4%. Foi a segunda semana seguida de redução da previsão de crescimento do PIB.

Os economistas mantiveram a projeção de crescimento de 2,5% para o PIB em 2019, 2020 e 2021.

Já a previsão de inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu para 4,09%, ante os 4,05% estimados no relatório anterior Ainda assim, a expectativa do mercado segue abaixo da meta de inflação, que é de 4,5% em 2018.

Para o ano que vem, o Focus aponta que o IPCA deverá ficar em 4,11%, mesmo índice do levantamento anterior. Já para 2020 a expectativa é que a inflação alcance 4%, e em 2021, 3,92%.

O dólar deverá fechar o ano em 3,83 reais. Há uma semana, a estimativa era de 3,80 reais – bem inferior ao fechamento do mercado na última sexta-feira, com a moeda americana sendo negociada a 4,18 reais.

Para o ano que vem, os economistas estimam a moeda a 3,75 reais. Há uma semana, a cotação estava em 3,70 reais. Para 2020, o Relatório Focus mostra ainda que a expectativa é de que o dólar seja negociado a 3,70 reais. Já para 2021, os economistas estimam uma cotação a 3,80 reais, menor que o previsto no levantamento da semana passada, que era de 3,76 reais.

Os economistas avaliam que a taxa Selic deverá ficar em 6,5% ao ano, a mesma estimativa da pesquisa da semana passada. Para 2019 e 2021, a expectativa do mercado para os juros continuou em 8% ao ano. Mas em 2020, a alta deverá ser de 8,13%.