Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Mercado piora previsão para o PIB de 2016 pela décima segunda vez consecutiva

Analistas ouvidos pelo Banco Central, no boletim Focus, passaram a ver retração econômica de 3,77% este ano e alta de 0,30% no ano que vem

Por Da Redação 11 abr 2016, 08h52

Economistas ouvidos pelo Banco Central (BC), no boletim Focus, pioraram, novamente, a previsão para o Produto Interno Bruto (PIB), tanto para 2016 quanto para 2017. Para este ano, a expectativa é de uma contração de 3,77%, contra uma retração de 3,73% estimada na semana anterior. Foi a décima segunda piora consecutiva do indicador. Para o ano que vem, a estimativa se manteve em 0,30%.

Em 2015, o PIB brasileiro teve um tombo de 3,8%, o maior em 25 anos, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Se o resultado for negativo este ano, será a primeira vez que o país registra dois anos seguidos de contração na economia, considerando a série histórica oficial, do IBGE, com início em 1948.

Já para a inflação, o mercado reduziu a estimativa pela quarta vez seguida neste ano, ao cair de 7,28% para 7,14%. Apesar do recuo, o número ainda está acima do teto de 6,5% da meta do governo e bem distante do objetivo central de 4,5%. Para 2017, a projeção do mercado é de 5,95%, um pouco abaixo do teto do regime de metas para o ano que vem.

O alívio na previsão de inflação do mercado para este ano começou após a divulgação do IPCA de fevereiro, que desacelerou para 0,9%, contra 1,27% no mês anterior.

Para os juros, o mercado manteve 13,75% a estimativa para a taxa Selic no fim deste ano. Já para o fim de 2017, a estimativa para a taxa de juros foi reduzida para 12,25% ao ano.

Continua após a publicidade

No caso do dólar, a projeção para o câmbio no fim de 2016 se manteve em 4 reais. Para o fechamento de 2017, a previsão também se manteve, ficando em 4,10 reais.

Leia mais:

Conheça dez países em que não é obrigatório dar gorjeta

“A economia se fortalecerá após a Lava Jato”, diz diretor do FMI

(Da redação)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)