Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Mercado financeiro corta previsão de crescimento em 2013

Projeção de alta do PIB passou de 2,5% para 2,35%. Expectativa para o ano que vem também caiu. Previsão de inflação em 2013 passou de 5,81% para 5,7%

Por Da Redação 9 dez 2013, 08h20

Na semana em que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que a economia brasileira recuou 0,5% no terceiro trimestre do ano, os economistas ouvidos pelo Banco Central para a pesquisa semanal Focus cortaram suas projeções de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) tanto para 2013 quanto para 2014. É o que mostra o levantamento, divulgado nesta segunda-feira. Para 2013, a previsão de alta do PIB caiu de 2,5 para 2,35%. Já a projeção para o próximo ano foi reduzida de 2,11% para 2,10%.

O resultado do PIB divulgado na semana passada foi o pior desde 2009 – e surpreendeu os analistas, que esperavam uma contração econômica de 0,2% entre julho e setembro.

Ainda segundo a pesquisa Focus, a projeção de inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) para 2013 recuou de 5,81% para 5,7%. Há quatro semanas, a estimativa estava em 5,85%. Para 2014, a projeção segue em 5,92%. Há quatro semanas, estava em 5,93%.

A projeção de inflação para os próximos 12 meses recuou de 6,09% para 6,04%, conforme a projeção suavizada para o IPCA. Há quatro semanas, estava em 6,18%. Nas estimativas do grupo dos analistas consultados que mais acertam as projeções, o chamado Top 5 da pesquisa Focus, a previsão para o IPCA em 2013 no cenário de médio prazo caiu de 5,80% para 5,68%. Para 2014, a previsão dos cinco analistas passou de 5,68% para 5,75%. Há um mês, o grupo apostava em altas de 5,86% para 2013 e 5,61% para 2014.

Leia mais:

Paulo Skaf: ‘a política contaminou a economia brasileira’

Continua após a publicidade

PIB do 3º tri distancia ainda mais o Brasil das seis maiores economias

O IPCA desacelerou de 0,57% em outubro para 0,54% em novembro, como mostrou o IBGE na semana passada. O indicador acumula alta de 4,95% no ano e, em 12 meses, de 5,77%, bem distante do centro da meta de inflação, de 4,5%.

Os economistas consultados pelo BC mantiveram a previsão para a taxa Selic no fim de 2014 em 10,50% ao ano. A taxa Selic está hoje em 10% ao ano. A projeção para a Selic média no próximo ano segue em 10,31% ao ano. Há quatro semanas estava em 10,25% ao ano. A previsão para a taxa na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) de janeiro segue em 10,25% ao ano, o que significa uma desaceleração no ritmo de alta, que foi de 0,50 ponto porcentual nas últimas reuniões do comitê. Nas estimativas do grupo Top 5 a previsão para a Selic no fim de 2014 está em 11% ao ano há quatro semanas.

Leia ainda: Em última reunião do ano, Copom eleva Selic aos dois dígitos

​Copom vê como “apropriada” continuidade de elevação na Selic

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Publicidade