Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Mercado antecipa para maio previsão de Selic a 9,5%–Focus

Por Hélio Barboza

SÃO PAULO, 30 Jan (Reuters) – O mercado financeiro manteve a previsão para a taxa Selic neste ano em 9,50 por cento, e elevou a estimativa para a taxa no fim de 2013 a 10,38 por cento, mostrou o relatório Focus do Banco Central nesta segunda-feira. No relatório divulgado na semana passada, a Selic do fim de 2013 era estimada em 10,25 por cento.

O documento desta semana é o primeiro a ser publicado depois da divulgação da ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), na qual o BC deu um claro sinal sobre a possibilidade de a taxa básica de juros do país -hoje em 10,50 por cento ao ano- cair a um dígito.

Apesar de manter a expectativa para a Selic deste ano, o mercado alterou a previsão para o ritmo de redução da taxa. A mediana das projeções para a próxima reunião do Copom, em março, continua a apontar mais um corte de 0,50 ponto percentual, para 10 por cento ao ano. A mediana das estimativas para abril, no entanto, agora indica um corte mais acentuado, para 9,63 por cento, ante 9,75 por cento no relatório Focus divulgado na semana passada.

A taxa básica de juros cairia para 9,50 por cento em maio, segundo o Focus, permanecendo assim até o final do ano. No Focus anterior, esse nível seria atingido apenas em agosto.

Na opinião do economista-chefe da Ativa Corretora, Álvaro Bandeira, o relatório desta semana ainda não captou a reação do mercado à ata do Copom. Ele prevê que os próximos relatórios possam trazer algum ajuste nas projeções, até para uma Selic de 9 por cento no fim de 2012.

“Mas ainda estamos trabalhamos com mais um corte de 0,50 ponto e dois de 0,25 ponto”, afirmou, referindo-se às projeções da Ativa.

Para o economista-chefe da corretora BGC Liquidez, Alfredo Barbutti, o mercado ainda está surpreso com a ata do Copom. “Os termos da ata foram considerados um pouco fortes para o BC”, disse.

Na ata, o colegiado do BC escreveu que “atribui elevada probabilidade à concretização de um cenário que contempla a taxa Selic se deslocando para patamares de um dígito”.

Barbutti observou que, antes da ata, o mercado já precificava um corte de 1 ponto percentual na Selic ao longo de 2012 e agora já começa a precificar um corte maior, de 1,5 ponto percentual, para 9 por cento ao ano.

PROJEÇÕES PARA 2013

No que se refere a 2013, porém, as projeções ainda apontam para um novo ciclo de elevação da taxa, que voltaria a 10 por cento em janeiro, segundo o Focus desta semana. No relatório divulgado na semana passada, esse patamar de dois dígitos voltaria em fevereiro.

“A previsão é de que o crescimento da economia se acelere no fim deste ano”, disse Bandeira, da Ativa Corretora. Essa aceleração levaria o BC a elevar novamente a Selic para conter as pressões inflacionárias em 2013. “O mercado está achando que a inflação vai voltar a subir em 2013”, afirmou Barbutti, da BGC Liquidez.

A perspectiva para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), referência para o regime de metas de inflação do governo, diminuiu ligeiramente para 5,28 por cento ao ano em 2012, contra 5,29 por cento no relatório anterior, na nova queda semanal consecutiva. A previsão para 2013 permaneceu em 5 por cento, completando nove semanas seguidas nesse patamar.

Ainda segundo a estimativa do mercado, o Produto Interno Bruto (PIB) deve acelerar seu crescimento para 4,15 por cento no ano que vem, abaixo da previsão do relatório Focus da semana passada, de 4,25 por cento. Para este ano, a mediana das estimativas aponta crescimento de 3,27 por cento, estável frente à semana anterior.

A taxa de câmbio deve chegar ao fim de 2012 em 1,80 real por dólar, de acordo com o relatório Focus, ante estimativa anterior de 1,78 real por dólar.