Clique e assine com 88% de desconto

Melhora externa faz Bovespa voltar aos 54 mil pontos

Por Da Redação - 26 jul 2012, 17h39

Por Alessandra Taraborelli

São Paulo – A ampliação do otimismo no exterior no final dos negócios fez a Bovespa intensificar os ganhos, voltar para o nível dos 54 mil pontos e romper a sequência de quatro quedas seguidas. Assim como pela manhã, o bom humor foi ditado pela percepção de que os governos globais estão dispostos a dar suporte ao crescimento econômico. Dados melhores que o esperado nos EUA também contribuíram com o cenário mais favorável. Os papéis da Vale, que operaram em queda durante toda a manhã, reverteram o movimento no meio da tarde desta quinta-feira, também embalados pela melhora externa. Tecnicamente, o mercado também destacou o nível que o papel atingiu como atrativo para compra.

Com isso, o Ibovespa encerrou com ganho de 2,65% – a maior alta porcentual do mês, aos 54.002,72 pontos. Com a valorização de hoje, as perdas da Bolsa na semana, no mês e, no ano, foram reduzidas para -0,35%, -0,65% e -4,85%, respectivamente. Na mínima, o índice atingiu 52.638 pontos (+0,06%) e, na máxima 54.126 pontos (+2,89%). O giro financeiro ficou em R$ 6,775 bilhões.

Um experiente operador disse que na hora final foi disparada uma operação chamada “basquete de compras”, que é uma cesta de ações, onde se compram vários papéis que compõem a carteira Ibovespa, entre eles, os da Vale, e se vende o índice. “Houve uma enxurrada de basquete de compras e, isso, ajudou na performance da Vale e, consequentemente, na do índice”, disse o profissional.

Publicidade

O papel ON da mineradora encerrou com ganho de 1,23% e o PNA, +0,77%. As siderúrgicas também tiveram bom desempenho nesta quinta-feira acompanhando a alta dos metais no exterior. Gerdau PN (+3,59%), Gerdau Metalúrgica (+3,58%), Usiminas PNA (5,11%). Já Siderúrgica Nacional foi na contramão (-0,96%).

Petrobras também seguiu o petróleo lá fora e subiu. A ação ON avançou 1,02% e a PN, +1,37%. Na Nymex, o contrato de petróleo com vencimento em setembro terminou com alta de 0,47%, a US$ 89,39 o barril.

Aliás, o bom humor contaminou quase 100% das 68 ações que compõem o Ibovespa. Apenas, sete terminaram no vermelho. Entre elas, Cielo ON que liderou as perdas (-2,62%), seguida de Dasa ON (-2,16%) e Eletrobras ON (-0,98%). Esta última, aliás, caiu sob notícia de que a Petrobras irá cobrar uma dívida de R$ 2,4 bilhões que a empresa de energia elétrica tem com ela.

No exterior, os comentários do presidente do Banco Central Europeu (BCE) detonaram uma onda otimista. Mario Draghi, durante discurso em Londres, garantiu que o BCE está pronto para fazer o que for preciso para preservar o euro, que a moeda comum é irreversível e que isso não são palavras vazias.

Publicidade

Nos EUA, dados melhores do que o esperado também ajudaram a dar uma trégua no pessimismo e levaram as bolsas para o azul. O índice Dow Jones fechou com ganho de 1,67%, o S&P 500 subiu 1,65% e o Nasdaq, +1,37%.

Publicidade