Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Meirelles diz que reforma ‘está bem encaminhada’ e minimiza adiamento

Ministro da Fazenda afirma que "duas semanas não farão diferença para a aprovação" e enfatizou confiança do mercado na aprovação da reforma

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou que “não serão uma ou duas semanas que farão diferença para a aprovação da reforma da Previdência“, pelo Congresso, pois o “importante é que seja aprovada.” O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) disse nesta sexta-feira, 21, em Foz do Iguaçu, que se não for possível a votação no plenário da Casa no dia 8 de maio, poderá ocorrer no dia 15 de maio.

O ministro da Fazenda ressaltou que a proposta da reforma da Previdência Social “está bem encaminhada” no Congresso, onde espera que será aprovada até o final de junho. Contudo, o ministro manifestou em Washington que, caso ocorra algum adiamento e fosse aceita de forma definitiva pelos parlamentares em agosto, não seriam gerados problemas para a correção das contas públicas no longo prazo.

Para ele, no entanto, o impacto maior poderia ocorrer sobre expectativas de investidores, com efeito em preços de ativos financeiros.

Mercado

Meirelles afirmou também que “a grande maioria de investidores acredita que a reforma da Previdência Social será aprovada” pelo Congresso. “A velocidade de reformas no Brasil é admirada por interlocutores com quem encontrei em Washington”.

“Há uma melhora de percepção internacional sobre o Brasil que ocorre desde meados de 2016”, disse. Segundo o ministro, “há uma recepção muito boa de investidores em relação ao Brasil” nos encontros que realizou nos EUA, que fazem perguntas pontuais sobre o tema, como o cronograma para a aprovação da reforma da Previdência pelo Congresso.

O ministro ponderou que o ingresso de capitais no Brasil “está forte e constante”, com redução de prêmios de risco em relação a ativos financeiros do País. “O fluxo de investimentos pode consolidar-se com a aprovação da reforma da Previdência”, afirmou. “Há interesse muito grande de investidores por projetos em infraestrutura”, concluiu.

(Com Estadão Conteúdo)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Cobrarão dos grandes devedoresa dívida junto à Previdência ou não tem filhões pra isso. É só o povo que é otario que sempre tem que pagar a conta que não é sua? Isso tudo porque não tem mais de onde roubarem? Abre a caixa preta da Previdência e faz uma auditoria internacional ou tem medo da reação do brasileiro?

    Curtir

  2. José Antonio Debon

    O Meireles diz que a reforma esta bem encaminhada, mas para uma nova reforma daqui a uns 12 anos, e também da a entender que mais privilégios podem ser mantidos. Os caras da previdência privada vão pagar a conta como sempre.

    Curtir

  3. João do Goiás

    Mais uma ação da “Indústria da Reforma”! Nessas explosões, geralmente os bandidos não levam nada! A quem interessa isso? Às empresas responsáveis pelas reformas dos prédios…

    Curtir

  4. João do Goiás

    Ops!

    Curtir

  5. João do Goiás

    Velho e governo gagás!!!

    Curtir

  6. Ezequiel lima feitosa

    Este cara ainda é ministro?que país é este? O cara envolvido até o pescoço e ainda faz leis .kkkkkk

    Curtir

  7. Marcos Cohen

    Bem encaminhada para quem? É bom que se diga que investimentos externos estão reagindo mesmo sem essa reforma, o que exigem é um ambiente jurídico adequado, apenas isso.

    Curtir

  8. Cadê meu comentário?

    Curtir