Clique e assine com até 92% de desconto

Medo de falar em público impulsiona rede de franquias

Com mais de 30 escolas, a Vox2You tem nadado de braçada em um mercado ainda pouco explorado por redes de ensino: o da oratória

Por Felipe Mendes Atualizado em 17 ago 2020, 13h24 - Publicado em 17 ago 2020, 12h50

Difundida desde a Grécia Antiga, a arte da retórica já foi pano de fundo de livros e de filmes. Usar a linguagem para passar uma mensagem de forma persuasiva é crucial para quem quer, por exemplo, conquistar um emprego, convencer um júri ou, até mesmo, encontrar o amor – além de ser um elemento indispensável para políticos e executivos. Ao lado da lógica e da gramática, a retórica foi uma das três artes liberais ensinadas nas universidades da Idade Média. Com o passar dos séculos, no entanto, esse ensino foi perdendo espaço. Mas o jovem empreendedor Luís Fernando Câmara, de 30 anos, resolveu se inspirar no passado para montar um modelo de negócios que trata do ensino da oratória. Criada em 2015 em Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, a escola Vox2You se tornou uma rede de franquias e hoje conta com 34 unidades pelo país. O sucesso do modelo despertou a atenção de figuras da maior patente do empresariado nacional, como Jorge Paulo Lemann, Flávio Augusto e Eike Batista, que chegou a ser sócio do projeto.

INSPIRAÇÃO – Câmara com Flávio Augusto, da Wise Up: escolas de oratória seguem o modelo de franquias de ensino da língua inglesa Cleiton Dias/Divulgação

O modelo de negócio idealizado por Câmara se baseia no método de ensino das escolas de inglês. Não à toa, duas de suas maiores inspirações são as redes Wizard e Wise Up. A academia de oratória, como o empresário chama, oferece cerca de 80 técnicas e 140 horas de treinamento — e tem se mostrado vital com a profusão de lives durante a pandemia de coronavírus. “O nosso modelo é parecido com o de uma escola de inglês. O aluno treina 80 técnicas, como linguagem não-verbal, storytelling, modulação de voz etc. O nosso segredo, no entanto, é ter uma taxa de evasão menor. As escolas de inglês têm uma taxa de evasão de 5% ao mês. A nossa fica em 0,3%”, conta. Com faturamento estimado em 12 milhões de reais para este ano, a rede projeta dobrar essa quantia já em 2021. “Nunca tivemos uma escola fechada nesses cinco anos de existência. Até 2025, pretendemos chegar a 500 unidades, com 450 milhões de reais de faturamento e um Ebitda de 50 milhões”, conjectura. Hoje, além das 34 escolas abertas, há outras 16 em fase de implementação.

Diversas pesquisas apontam que a glossofobia, o medo de falar em público, é um dos principais temores da população mundial. Pelo menos uma entre cada quatro pessoas se sente insegura diante de uma plateia. Fernando Câmara viu a desmistificação desse temor como oportunidade e aponta a importância de se adquirir técnicas de oratória para conduzir trabalhos escolares, palestras ou até para melhorar o convívio social. “Muitas pessoas são extremamente competentes, mas perdem oportunidades de emprego porque não se comunicam bem. Advogados também são derrotados somente por não conseguirem passar a informação da forma como gostariam. Isso acontece a todo instante”, diz.

Questionado se teme que rivais no ramo educacional ataquem seu ‘oceano azul’, Câmara responde que há espaço para todos. “Se grandes players entrarem nesse mercado, pode ser até bom para disseminar o conceito”, afirma. Além de ambicionar as 500 unidades, o plano é realizar uma oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês). “Eu quero fazer um IPO no futuro. Quero concentrar a maior parcela das ações comigo para, posteriormente, iniciar um processo de profissionalização”, diz Câmara. Hoje, ele detém 97% do capital da empresa. Entretanto, Câmara confessa que, conforme o modelo ganha escalabilidade, o assédio no mercado tem aumentado. A gestora de recursos Gera Capital, que possui Jorge Paulo Lemann como principal investidor, e Flávio Augusto, fundador da Wise Up, já tentaram adquirir uma participação societária na Vox2You. O mercado educacional tem, nos últimos anos, passado por um processo de consolidação.

ASSINE VEJA

A encruzilhada econômica de Bolsonaro Na edição da semana: os riscos da estratégia de gastar muito para impulsionar a economia. E mais: pesquisa exclusiva revela que o brasileiro é, sim, racista
Clique e Assine

Grandes nomes

JORGE PAULO LEMANN – Cofundador da Ambev e principal investidor da gestora Gera Capital: empresário foi de mentor a aluno e está interessado em obter participação no negócio divulgação/Divulgação

O segredo para o sucesso do modelo insólito foi se apoiar em grandes nomes. Em 2010, muito antes de inaugurar o modelo de negócio, Câmara fez um curso com Eike Batista, que chegou a investir 1 milhão de reais na companhia em 2015 e contratou a Vox2You para realizar um trabalho com executivos da EBX em 2016. Ele recebeu, ainda, um trabalho de mentoria de Jorge Paulo Lemann em 2012. Do encontro surgiu a amizade e Lemann já adquiriu os serviços de Câmara para se preparar para eventos da Endeavor Brasil. Agora, quem está encantando com o método de ensino, segundo o jovem empreendedor, é o cantor Zezé Di Camargo, que está dando vida a um novo curso da Vox2You. “Firmamos uma parceria legal com o Zezé. Vamos pegar a história dele, o lado empreendedor que ele tem, e fazer um curso voltado a artistas”, afirma.

Com 6.800 alunos matriculados atualmente, a Vox2You quer atender também as necessidades do público infanto-juvenil. Por isso, lançou um curso de oratória com duração de sete anos voltado a crianças e adolescentes. “Estamos lançando o Vox2You Kids para toda a rede. Esse é um programa que os próprios pais pediam, porque as crianças crescem diante da tela do celular, sem comunicação verbal e ‘olho no olho'”, afirma. “Com este novo módulo e as 16 unidades que estamos prestes a inaugurar, chegaremos a 10.500 alunos até o fim deste ano”, estima. Durante a pandemia de Covid-19, as escolas estão fechadas. A forma encontrada por Câmara para se sobressair foi, portanto, investir em métodos educacionais virtuais. “Nós fizemos uma operação de guerra com a equipe de tecnologia da informação e pesquisa e desenvolvimento. Em sete dias, lançamos uma plataforma com mais de 200 exercícios de oratória para que os alunos continuassem praticando. Com isso, conseguimos conter a evasão.” Aristóteles e Isocrátes devem estar orgulhosos.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade