Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Medidas do governo afetaram resultados do Votorantim

Por Da Redação 14 fev 2012, 11h38

Por Altamiro Silva Júnior

São Paulo – A piora dos resultados do Banco Votorantim é reflexo de dois fatores, segundo o presidente do Banco do Brasil, Aldemir Bendine. O primeiro é o impacto negativo das medidas macroprudenciais do final de 2010, que passou a exigir mais capital nas operações de prazo maior nos segmentos de veículos e consignado. O segundo foi uma resolução do Banco Central, que passou a não permitir a contabilização das receitas com cessão de carteiras no momento da venda.

A resolução do BC entrou em vigor este ano, mas Bendine disse que o Votorantim passou a fazer a contabilização seguindo as normas já no final de 2011. Pela nova regra, a contabilização da receita com cessão tem que ser feita ao longo da duração da carteira cedida.

O saldo de ativos adquiridos do BV pelo BB alcançou a marca de R$ 14,5 bilhões em dezembro, sendo R$ 10,3 bilhões de financiamento de veículos e o restante de consignados.

O BV reverteu lucro líquido de R$ 1 bilhão em 2010 para prejuízo de R$ 201 milhões no ano passado.

Cartões

Os cartões emitidos pelo BB movimentaram R$ 139 bilhões em 2011 em transações, crescimento de 24%. A base chegou a 83,6 milhões de plásticos. O banco já emitiu 100 mil cartões da marca Elo, criada em parceria com Bradesco e a Caixa.

Continua após a publicidade

Publicidade