Clique e assine a partir de 8,90/mês

Manifestações e pesquisas eleitorais animam e dólar cai abaixo de R$ 3,70

Bolsa sobe com consolidação de Jair Bolsonaro como maior favorito para vencer no dia 28 de outubro

Por Machado da Costa - Atualizado em 22 out 2018, 11h25 - Publicado em 22 out 2018, 11h10

O mercado financeiro iniciou as negociações desta segunda-feira, 22, de bom humor. Reflexo das manifestações a favor do candidato Jair Bolsonaro (PSL) neste domingo, 21, e também de pesquisas de opinião que consolidam a liderança do capitão reformado sobre Fernando Haddad (PT).

Às 10h50, o dólar caía 0,61%, cotado a 3,692 reais. Já o Ibovespa, principal indicador da B3, a bolsa de valores de São Paulo, subia 1,31%, aos 85.326 pontos. Entre as maiores altas, aparece a estatal Eletrobras, com valorização de 4,1%, com suas ações cotadas a 22,67 reais. A Petrobras também sobe, mas de forma mais branda: 1,85%, com papeis negociados a 26,40 reais.

Segundo Newton Rosa, economista chefe da SulAmérica Investimentos, afirma que o bom humor com as eleições tem predominado os negócios, uma vez que o mercado externo tem influenciado pouco os investidores nesta segunda.

“Os mercados estão neutros no exterior”, diz Rosa. “O que pode estar influenciando um pouco mais foram os estímulos fiscais anunciados pelo governo chinês, que fez a bolsa chinesa subir”, afirma. O Banco Central chinês anunciou, nesta segunda, que promoverá um corte de impostos que poderá chegar a 1% do Produto Interno Bruto do país.

O mercado também está olho na composição do governo de Bolsonaro, caso confirme o favoritismo no dia 28 de outubro. No final de semana, o capitão reafirmou que Ilan Goldfajn, atual presidente do Banco Central, poderá ser mantido no cargo.

As polêmicas envolvendo um suposto financiamento ilegal de campanha, denúncia feita pelo jornal Folha de S.Paulo na última semana, e o vídeo do filho de Bolsonaro, o deputado reeleito Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), afirmando que para fechar o Supremo Tribunal Federal (STF) seria necessário apenas um cabo e um soldado, pouco afetam os negócios.

“As pesquisas estão mostrando 20 pontos de diferença entre os dois e isso vai consolidando essa vitória para o Bolsonaro. Os índices estão refletindo apenas esse bom humor”, afirma Rosa.

Continua após a publicidade
Publicidade