Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Maduro exige que proprietários vendam imóveis a inquilinos

De acordo com decreto publicado nesta segunda-feira, o descumprimento da lei resultará em pagamento de multa e até embargo do imóvel; lei é válida somente para inquilinos que estejam no imóvel há mais de 20 anos

Os proprietários de imóveis alugados na Venezuela há vinte anos ou mais deverão vendê-los a seus locatários em um prazo irrevogável de sessenta dias. De acordo com um decreto publicado nesta segunda-feira, aqueles que não cumprirem o dispositivo terão de enfrentar multas.

O decreto do Ministério da Habitação adverte que a multa inicial será de 2.000 Unidades Tributárias, equivalente a 254.000 bolívares (cerca de 91.500 reais), que deve ser paga em um período de cinco dias. A multa dobrará caso não seja paga nesse tempo e, depois disso, “a Superintendência Nacional de Arrendamentos (SNA) solicitará o embargo executivo correspondente sobre o imóvel ou os imóveis objetos da multa”, afirma.

Leia também:

Imóvel custa 12% a mais por culpa da burocracia

Chanceleres da Unasul fazem recomendações a Maduro

Em uma primeira reação, Roberto Orta, presidente da Associação de Proprietários de Imóveis Urbanos (Apiur), classificou a lei como inconstitucional. Em entrevista à emissora Notícias24, Orta disse que se trata de uma medida que despeja de sua propriedade locadores legítimos, apesar de a Constituição só prever a desapropriação e o confisco, com o respectivo pagamento de uma indenização. Além disso, acrescentou Orta, “muitos desses edifícios são ocupados por pessoas da terceira idade”, a quem os bancos não concedem crédito para uma eventual compra de imóveis.

Leia ainda:

Prefeito venezuelano preso denuncia governo Maduro em carta

Foto de miss amordaçada vira ícone na luta contra Maduro

(Com agência EFE)