Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Lupatech ainda considera desinvestimentos

Por Da Redação - 3 jan 2012, 13h04

SÃO PAULO (Reuters) – A empresa de serviços e equipamentos para o setor de petróleo e gás Lupatech considera realizar novos desinvestimentos mesmo com a operação de aumento de capital e incorporação da San Antonio Brasil, com a qual busca fortalecer a sua estrutura de financiamento.

“O nosso plano de levantar 150 milhões de reais em caixa para a companhia, através de desinvestimentos, continua e continuará a ser perseguido”, disse o presidente da companhia, Alexandre Monteiro, em teleconferência com analistas, nesta terça-feira.

A empresa já anunciou a venda dos ativos de metalurgia das unidades Steelinject, por 14 milhões de reais, e da Microinox, por 30 milhões, e tem outros processos em andamento dentro do plano de desinvestimento.

O executivo participou de teleconferência sobre o aumento de capital de 700 milhões de reais e a incorporação da empresa San Antonio Brasil anunciado em 29 de dezembro .

Publicidade

De acordo com o memorando de entendimentos anunciado na semana passada, o BNDESPar e a Petros subscreverão, em dinheiro, até do 300 milhões de reais do montante total em conjunto.

O BNDESPar ainda poderá subscrever o aumento de capital com a utilização de créditos de debêntures, desde que garantidos recursos, em dinheiro, para o aumento de capital no montante mínimo de 350 milhões de reais. Já a GP Investments subscreverá um valor mínimo de 50 milhões de reais.

“O direito de conversão ao preço de 4 reais por ação será exercido pela BNDESPAR somente no contexto deste aumento de capital”, informou a Lupatech, em slide apresentado na teleconferência.

A incorporação da San Antonio Brasil trará consigo uma dívida de 100 milhões de reais, a qual, segundo Monteiro, já está estruturada e não pressionará o fluxo de caixa de curto prazo da Lupatech.

Publicidade

Monteiro disse que espera que o acordo seja formalizado de 30 a 45 dias e que a estrutura de transação garante que a Lupatech terá “capex (investimentos) financiado e necessidades atendidas em 2012”.

Segundo Monteiro a incorporação dos ativos da San Antonio no Brasil permitirá a racionalização e integração com as bases da Lupatech, sendo que as bases de Macaé (RJ) poderiam ser totalmente integradas em apenas uma, liberando outra para a venda.

“As sinergias de custo são o que vemos como ganhos que serão adicionados com bastante rapidez à companhia resultante”, disse o executivo ao mencionar custos com pessoal, comerciais e administrativos.

A San Antonio Brasil atua no segmento de sondas de perfuração e serviços de intervenção e de poços e tem 1,6 bilhão em contratos firmes no Brasil.

Publicidade

(Por Anna Flávia Rochas)

Publicidade