Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Lula muda discurso e agora diz que rebaixamento “não significa nada”

Quando era presidente em 2008, petista afirmou que a conquista do grau de investimento significava que o Brasil havia se tornado um "país sério"

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) mostrou mais uma vez como é uma pessoa bastante volúvel – para não dizer oportunista. Nesta quinta-feira, em Buenos Aires, o ex-presidente tentou minimizar a perda do grau de investimento do Brasil pela agência Standard & Poor’s, dizendo que a decisão “não significa nada”.

“Significa que apenas a gente não pode fazer o que eles querem. A gente tem que fazer o que a gente quer. Porque quando eles diminuem, vem mais arrocho, mais ajuste, mais desemprego, mais corte de gasto. Não vem nunca mais educação, mais profissionalismo, mais investimento. Não vem”, disse Lula, para uma plateia formada por empresários, diplomatas e servidores do governo Cristina Kirchner.

Quem vê o petista falando nesse tom talvez nem imagine o quanto ele celebrou a conquista do grau de investimento obtida durante o seu mandato, em abril de 2008. Na ocasião, o ex-presidente disse que o Brasil passava por um “momento mágico” e que, com o “upgrade”, tornava-se um “país sério” e reconhecido internacionalmente. “Eu não sei nem falar direito essa palavra (investment grade), mas, se a gente for traduzir isso para uma linguagem que os brasileiros entendam, o Brasil foi declarado um país sério, que tem políticas sérias, que cuida das suas finanças com seriedade e que, por isso, passamos a ser merecedores de uma confiança internacional que há muito tempo o país necessitava”, afirmou na época, durante um evento em Maceió.

Já no discurso desta quinta em Buenos Aires, Lula ironizou a decisão da agência de risco, dizendo achá-la “engraçada” por não usar os mesmos critérios para avaliar os “países quebrados da Europa”. “É engraçado como é que eles têm facilidade de tomar medidas que dão dor de barriga na América Latina. Todo mundo sabe quantos países da Europa estão quebrados, e eles não tem coragem de diminuir o grau de investimento de nenhum país”, afirmou.

Há sete anos, Lula disse, em tom de brincadeira, que algumas pessoas não viam a conquista do grau de investimento com bons olhos, porque ela levaria o real a se valorizar frente ao dólar – na ocasião, a moeda americana valia de 1,60 a 1,70 real. Os tempos mudaram radicalmente, a começar pela cotação da divisa, que fechou nesta quinta-feira cotada a 3,85 reais.

Leia também:

Standard & Poor’s tira selo de boa pagadora também da Petrobras

Após ultrapassar R$ 3,90, dólar perde fôlego e fecha a R$ 3,85

(Da redação)