Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Lucro da TIM cai 20% no 2º tri, para R$ 290,8 milhões

Em relatório, empresa citou uma desaceleração na venda de aparelhos, sobretudo smartphones

A TIM Participações teve lucro líquido de 290,8 milhões de reais no segundo trimestre deste ano, queda de 20,5% na comparação anual, afirmou a empresa nesta terça-feira. A média das estimativas de analistas esperava lucro de 275 milhões de reais. Em abril, a operadora de telecomunicações concluiu a primeira parte do acordo de venda de torres com a American Tower, envolvendo 4.176 torres por 1,9 bilhão de reais. Considerando esta venda, o lucro da TIM chegou a 926,4 milhões de reais no período.

Já a receita líquida no segundo trimestre caiu 8,8% ante o mesmo período do ano passado, a 4,4 bilhões de reais, com um recuo de 5% da receita de serviços e de 28% da receita de produtos. O Ebitda (sigla em inglês para lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) caiu 4,4%, para 1,271 bilhão de reais no segundo trimestre.

No relatório de resultados, a TIM citou uma redução na venda de aparelhos, conforme se aproxima um cenário em que a difusão de smartphones cresce a um ritmo mais moderado. “Diante do cenário desafiador, o foco em margem e eficiência da companhia não só continua como se acentua”, disse, em teleconferência, o presidente da operadora, Rodrigo Abreu.

O Conselho de Administração da TIM elegeu o executivo italiano Pietro Labriola vice-presidente de Operações em reunião realizada nesta terça-feira. A posse e o início das atividades ainda dependem da obtenção de visto brasileiro permanente. A indicação de Labriola deve ajudar a empresa a recuperar as vendas e preparar a companhia para uma possível consolidação do mercado.

Leia mais:

Dólar acelera e encosta em R$ 3,50

FGV: Brasil já está em recessão desde o 2º tri de 2014

Cortes – Além dos resultados referentes ao segundo trimestre, a TIM anunciou um plano de redução de custos de mais de 1 bilhão de reais nos próximos três anos, cujos impactos já começarão a ser sentidos este ano. A estratégia tem entre suas prioridades a diminuição de gastos com marketing e fornecedores.

“Gostaria de anunciar que estamos conduzindo um plano de eficiência com o qual esperamos alcançar uma redução de mais de 1 bilhão de reais em Opex (despesas operacionais) durante os próximos três anos”, disse o diretor financeiro da operadora Guglielmo Noya, em teleconferência com analistas e jornalistas.

(Com agência Reuters)