Clique e assine com até 92% de desconto

Lucro da Light cai 67% no 2º trimestre, a R$ 45 milhões

Por Da Redação 6 ago 2011, 12h28

Por Suzana Inhesta

São Paulo – O lucro líquido da concessionária de energia elétrica do Rio de Janeiro Light diminuiu 67,1%, passando de R$ 138 milhões no segundo trimestre de 2010 para R$ 45 milhões em igual período deste ano. “Tal resultado pode ser pelo menor Ebitda, em função do aumento dos custos com energia comprada; nos gastos com pessoal, material e serviço de terceiros (PMSO) e de provisões e também pelo incremento na despesa financeira líquida em R$ 56,7 milhões em relação ao segundo trimestre de 2010”, disse a empresa, em relatório de resultados.

O Ebitda da companhia foi de R$ 241 milhões, o que representa um recuo de 36,7% ante os R$ 380 milhões, na mesma base de comparação. A margem Ebitda passou de 27,1% para 16,5%, queda de 10,6 pontos porcentuais.

A receita líquida da companhia subiu 4,1%, passando de R$ 1,402 bilhão para R$ 1,459 bilhão em igual base de comparação, sem incluir as receitas de R$ 179,2 milhões oriundas de construção. A receita de distribuição e construção somou R$ 1,524 bilhão no segundo trimestre, alta de 7,2% ante os R$ 1,421 bilhão do mesmo período do ano passado. Já a receita de geração somou R$ 77,5 milhões, aumento de 6% e a de comercialização e serviços, R$ 56,7 milhões, acréscimo de 55,7% na mesma base de comparação.

A Light ainda informou que o consumo total de energia na área de concessão da Light SESA (clientes cativos mais transporte de clientes livres) no segundo trimestre foi de 5.669 GWh, um crescimento de 3,1% em relação ao mesmo período de 2010, de 5.469 GWh. O consumo no segmento residencial teve alta de 2,6% em igual intervalo, no industrial de 1,2% e no comercial, de 5%.

No acumulado do semestre de 2011, o lucro líquido da Light caiu 41,6%, para R$ 212 milhões, com receita líquida de R$ 3,146 bilhão, aumento de 4,9% ante o mesmo período do ano passado e Ebitda, de R$ 676 milhões, diminuição de 21,2%. A margem Ebitda passou de 28,6% para 21,5% na mesma base de comparação.

Continua após a publicidade
Publicidade