Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Lucro da Ambev sobe 23% no 3º trimestre

Contudo, a receita líquida da empresa subiu apenas 0,9% entre julho e setembro

A Ambev, maior empresa de bebidas da América Latina, registrou alta de 23% em seu lucro líquido no terceiro trimestre em relação ao mesmo período de 2013, ao somar 2,89 bilhões de reais. O resultado ficou em linha com a média de estimativas de analistas em pesquisa da Reuters. Contudo, a receita líquida da empresa subiu apenas 0,9% entre julho e setembro deste ano e do ano passado, para 8,6 bilhões de reais. Ainda na comparação anual, o volume de cerveja vendido no Brasil, seu principal mercado, caiu 0,4%, depois de ter avançado 7,2% no segundo trimestre.

O indicador de geração de caixa, o Ebitda ajustado (sigla em inglês para lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) caiu 3,1% na comparação anual, para 4,1 bilhões de reais. O resultado financeiro consolidado ficou negativo em 221,1 milhões de reais, ante 497,4 milhões também negativos um ano antes.

“Não estamos nada satisfeitos com esse resultado mas, ainda que o ambiente macroeconômico continue desafiador, não vemos o resultado do terceiro trimestre como tendência para o nosso desempenho futuro”, disse a companhia em relatório.

Leia mais:

Ambev é multada em R$ 1 milhão por causa da Kronenbier

Bernardo Pinto Paiva é o novo diretor geral da Ambev

Governo prepara novo modelo de tributação para bebidas

Analistas já previam pressão sobre a margem, após recuo observado no segundo trimestre em função de mix desfavorável de embalagens com a Copa do Mundo. Na campanha, a Ambev investiu em latinhas, que dão menor margem que as embalagens retornáveis, além de edições especiais.

A Ambev afirmou que mantém o plano, do início de 2014, de crescer a receita líquida este ano baseada no melhor equilíbrio entre volume e preço e na aceleração dos investimentos em suas marcas. A empresa cita que itens como ganho de participação de mercado, crescimento das marcas premium acima da indústria e inflação da cerveja contribuirão para o cumprimento de suas metas.

“Dessa maneira, esperamos atingir as projeções de receita líquida e custos para o ano no Brasil através da reaceleração do crescimento da receita líquida (entre um dígito alto e dois dígitos baixos) e melhora de nosso desempenho de despesas gerais e administrativas no quarto trimestre de 2014”, disse.

A empresa também projeta que seu custo por produto vendido (CPV) por hectolitro no Brasil cresça um dígito médio no ano, com a maior constância do mix de produtos. Os investimentos no país devem ser menores do que no ano anterior, quando foram gastos 2,8 bilhões de reais.

Global – A controladora da Ambev, a AB InBev, também divulgou resultado nesta sexta. O volume de cerveja vendido no terceiro trimestre caiu 2,7%, refletindo diminuição da comercialização na América do Norte, Europa e Ásia-Pacífico e aumentos limitados de preços no Brasil e limitada redução de custos no México.

O Ebitda, lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização, foi de 4,75 bilhões de dólares no trimestre, abaixo da previsão de analistas (5 bilhões).

(Com agência Reuters)