Liminar impede irmãos Batista de votar em assembleia da JBS

A J&F informou que deve recorrer da decisão; assembleia acontece nesta sexta-feira

Por Da redação - Atualizado em 31 ago 2017, 20h42 - Publicado em 31 ago 2017, 20h40

Os irmãos Joesley e Wesley Batista estão impedidos de participar da assembleia geral extraordinária de acionistas, marcada para esta sexta-feira. A Justiça Federal de São Paulo concedeu liminar favorável ao BNDESPar, braço de participações do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), e à Caixa Econômica Federal impedindo os controladores da JBS de participar da assembleia.

Acionistas da JBS, Caixa e BNDESPar alegam que os controladores causaram danos ao grupo. Na assembleia, as duas instituições vão defender o afastamento de Wesley Batista na presidência do grupo.

O conselho de administração da JBS decidiu no começo da semana manter Wesley na presidência e rejeitar o pedido do BNDES de contratação de uma auditoria externa e independente para avaliar os danos gerados dos atos ilícitos confessados nos acordos de delação premiada dos irmãos Batista.

A JBS definiu como “indesejável” uma ação de responsabilidade contra Wesley Batista. “Há razões concretas que permitem crer que o impedimento do sr. Batista, consequência da ação de responsabilidade contra ele, seria neste momento prematuro e, portanto, prejudicial à companhia”.

Publicidade

Em nota, a J&F, holding que reúne os negócios da família Batista e é controladora da JBS, informa que não tem conhecimento do teor da decisão, mas que irá recorrer. “Tão logo a empresa seja intimada, irá analisar e tomará as medidas legais cabíveis.”

(Com Estadão Conteúdo)

 

Publicidade