Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Licitação de faixa de 700 MHz é prioridade, diz Bernardo

Em 2013, o Ministério das Comunicações destinará freqüência para 4G e antecipará o cronograma de digitalização de canais de TV analógicos

Por Da Redação 21 nov 2012, 13h33

O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, disse nesta quarta-feira que as prioridades da pasta para 2013 são a licitação das faixas de 700 MHz para a prestação de serviço 4G de telefonia móvel, com a antecipação do cronograma de digitalização dos canais atualmente analógicos, e os decretos de desoneração de tributos para o setor.

Segundo ele, esses assuntos foram levados à presidente Dilma Rousseff em reunião realizada na terça-feira em Brasília. “Levei toda a minha agenda e recebi as prioridades (de Dilma)”, afirmou, após participar do fórum Ericsson Business Innovation.

Leia mais:

Oi promete rede 4G em São Paulo no início de 2013

Desligamento de TV – Bernardo confirmou que a intenção do governo é licitar as faixas de 700 MHz, atualmente destinadas à TV analógica, no segundo semestre do ano que vem. Dessa forma, essa faixa de frequência seria aberta para a banda larga móvel de quarta geração. “Queremos mudar o cronograma de digitalização, basicamente antecipando em algumas regiões para 2015, 2014, e ampliando em outras localidades”, disse. O projeto original prevê o desligamento do sinal analógico em todo o país, simultaneamente, até junho de 2016. “Isso poderia gerar problemas”, completou.

Bernardo confirmou que a desoneração dos pacotes para incentivar investimentos na infraestrutura de redes de telecomunicações deverá somar 6 bilhões de reais em cinco anos. O ministro lembrou que o pacote já está acertado com o Ministério da Fazenda.

Sobre a desoneração de tributos dos smartphones, Bernardo garantiu que os descontos devem vigorar já neste Natal. O ministro acrescentou que “nos próximos dias” a Fazenda deve dar o aval para a inclusão dos smartphones na Lei do Bem, garantindo a redução dos preços dos aparelhos no varejo.

(com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Publicidade