Clique e assine a partir de 9,90/mês

Latam avisa que não cobrará remarcação de voo afetado por greve

Companhias aéreas informam que os passageiros devem buscar informações sobre a confirmação ou cancelamento dos seus voos antes de irem ao aeroporto

Por Da redação - Atualizado em 23 maio 2018, 22h19 - Publicado em 23 maio 2018, 20h46

Por causa da greve dos caminhoneiros, que causa restrições de abastecimento de aeronaves pelo país, a Latam Airlines Brasil informou nesta quarta-feira, 23, que oferecerá isenção da cobrança de taxa de remarcação de passagens para novas datas.

A flexibilização da regra valerá para voos domésticos com partidas, chegadas ou conexões programadas para os aeroportos de Aracaju, Brasília e Recife nos dias 23 e 24 de maio.

A companhia aérea diz que os passageiros que forem afetados deverão entrar em contato através da central de vendas ou procurar uma loja física.

 

Continua após a publicidade

As empresas Avianca Brasil e Gol também se posicionaram sobre eventuais transtornos causados pela greve aos seus clientes.

Em nota, a Avianca informou que está acompanhando de perto os impactos causados em cada um dos aeroportos que atua, e diz que, até o momento, suas operações foram minimamente afetadas.

Já a Gol recomenda aos seus clientes com viagens previstas para esta quinta-feira, 24, que verifiquem a situação de seus voos antes de se deslocarem aos aeroportos. A companhia informa ainda que está aplicando medidas de contingência em toda a sua operação, de modo a manter sua operação dentro da normalidade.

Como recomendação geral, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) diz que os passageiros com voos marcados para os próximos dias devem consultar as empresas aéreas antes de se deslocarem para os aeroportos até que o abastecimento de querosene de aviação a situação se normalize.

Continua após a publicidade

Em nota, a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) manifesta preocupação com a paralisação dos caminhoneiros, e diz que os bloqueios causarão impactos para as operações aéreas em todo o país nas próximas horas. A associação diz que ainda não é possível contabilizar o número de voos ou rotas impactadas, e ressalta que a aviação comercial segue rígidos padrões de segurança, em relação à quantidade de combustível necessário para cada voo.

Publicidade