Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Justiça determina bloqueio de R$ 282 milhões da OAS

Esta é a quarta decisão de bloqueio de bens de empreiteiras envolvidas na Lava Jato

A Justiça Federal do Paraná determinou o bloqueio de 282,4 milhões de reais da construtora OAS, empresa que participava do cartel de empreiteiras suspeito de fraudar contratos com a Petrobras e pagar propina a políticos. Os recursos bloqueados estão inseridos no contexto das ações de improbidade administrativa apresentadas pelo Ministério Público para tentar reaver os recursos usados pelas empreiteiras no escândalo do petrolão.

LEIA TAMBÉM:

Justiça bloqueia meio bilhão de reais de empreiteiras da Lava Jato

Esta é a quarta decisão de bloqueio de bens de empresas envolvidas no pagamento de propina a dirigentes da Petrobras. Já havia sido determinado o bloqueio de 153,9 milhões de reais da Engevix e da Jackson Empreendimentos, 302,5 milhões de reais da Galvão Engenharia e 241,5 milhões de reais da Camargo Correa e da Sanko Sider.

Para calcular os valores, os investigadores levaram em conta o patamar de 1% do total dos contratos firmados entre as empresas e a Petrobras no período investigado, além de ter calculado multa civil de três vezes o valor do acréscimo patrimonial indevido.

LEIA TAMBÉM:

Lava Jato: MP denuncia Vargas, Argôlo e Corrêa

Lava Jato: executivo diz ter ficado ‘impressionado’ com corrupção

O Ministério Público entrou na justiça com ações de improbidade contra as empreiteiras Camargo Corrêa, Sanko, OAS, Galvão Engenharia, Mendes Junior e Engevix com solicitação de pagamento de multa de 959 milhões de reais e pedido de 3,19 bilhões de reais como indenização por danos morais coletivos.