Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Juros do consignado do INSS subirão para 1,97%, taxa defendida por Lula

Empréstimos estão suspensos após o Ministério da Previdência aprovar no CNPS a redução dos juros para 1,70%

Por Larissa Quintino Atualizado em 28 mar 2023, 20h36 - Publicado em 28 mar 2023, 16h55

O Conselho Nacional de Previdência Social (CNPS) aprovou nesta terça-feira, 28, a taxa de 1,97% ao mês para o desconto em folha para aposentados do INSS. Foram 11 votos a favor, um contrário e três abstenções. O percentual foi o definido pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), também nesta terça, para resolver o impasse entre aposentados e os bancos e, em seguida, aprovado pelo consignado. Neste mês, o Ministério da Previdência Social havia baixado a taxa para 1,70%, o que suspendeu a concessão do crédito pelos bancos.  

O empréstimo consignado está parado há 13 dias após o Ministério da Previdência ter aprovado no CNPS a redução dos juros, que estavam em 2,14%. Entre as instituições que operavam a linha e cortaram as concessões após a queda da taxa para 1,70% estão Itaú, Bradesco, Pan, Banco Mercantil do Brasil, C6 Bank, Daycoval, Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil. Em nota, a Associação Brasileira de Bancos afirmou que o patamar estabelecido nessa terça possibilita que as instituições voltem a ofertar linhas de consignado do INSS. “Apesar dos índices abaixo do esperado pelas instituições financeiras, as novas taxas permitem alcançar os objetivos de oferecer alternativas de empréstimos mais acessíveis e em consonância com as iniciativas do governo de fomentar o crédito no país”, afirmou a entidade. 

Os juros para o cartão consignado, que passaram de 3,06% para 2,62%, agora serão de 2,89%, de acordo com aprovação do conselho. Os bancos queriam que a taxa ficasse na casa dos 2%, enquanto representantes dos aposentados defendiam a taxa a 1,90%. Uma decisão a ‘meio termo’ foi defendida por Lula antes da reunião do conselho que bateu o martelo nas novas taxas, que passarão a valer após a publicação de uma instrução normativa pelo Ministério da Previdência, a ser feita nos próximos dias. 

O empréstimo consignado do INSS é uma linha que desconta o valor da parcela diretamente na folha de pagamento do benefício previdenciário. As taxas são menores que as praticadas em outros empréstimos devido ao baixo risco de inadimplência. 

A redução do consignado que culminou com a paralisação do crédito para os aposentados é mais um episódio em uma série de desentendimentos entre o ministro da Previdência, Carlos Lupi, e o restante do governo. Em janeiro, Lupi já havia causado confusão ao afirmar que a Previdência não era deficitária e que a reforma seria revista, mas depois foi desautorizado pelo governo.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.