Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

JPX: a aventura de Eike Batista na indústria automotiva

Jipe fabricado em Minas Gerais na década de 1990 era bom no quesito fora-de-estrada. Quando não fervia.

Antes do Grupo EBX – conglomerado com empresas ligadas a geração de energia, extração de petróleo, logística, construção naval e mineração de ferro –, entrar para o rol dos mais ricos do mundo e bem antes de ver seu império ruir, o empresário Eike Batista, hoje investigado por corrupção ativa, se aventurou na indústria automotiva. Ele fabricou um jipe no Brasil.

Veja também

O ano era 1992. Àquela altura, Eike tinha 36 anos e já havia se tornado milionário com comércio e mineração de ouro e diamantes na amazônia. Com o Jeep Willys fora de linha havia 10 anos, a necessidade um utilitário para uso nas plantas de mineração que também atendesse ao mercado nacional fizeram o empresário comprar os direitos para produção do francês Auverland A-3 no Brasil.

Com poucas mudanças no projeto original, nascia o JPX Montez. A empresa alugou a antiga fábrica de máquinas de escrever e calcular da Facit, em Pouso Alegre (MG) e ali iniciou em 1993 a produção do utilitário. A promessa era de que 250 carros seriam fabricados por mês, mas durante o primeiro ano a média foi de 120 carros mensais.

Leia o restante desta história no site da revista QUATRO RODAS

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Aloisio Barros

    Esse “jeep” é muito bom. Eike ainda vai dar a volta por cima e renasacer das cinzas. Foi usado pelos maus políticos. No mais é um grande empresário.

    Curtir

  2. Geroldo Zanon

    O EIKE ficou bilionario porque trabalhou e o LULA ficou bilionario porque roubou tudo

    Curtir

  3. Mauro Eduardo Sales

    Em qual fundamento Eike é um grande empresário? Nada do que empreendeu foi adiante. É apenas um sujeito meio fora de órbita, ensacador de fumaça, vendedor de nuvem. Ficou milionário aos 32 anos comercializando ouro e pedra preciosa, e este era o seu limite.

    Curtir

  4. André Morais

    Muita fumaça pra pouca fogueira…

    Curtir

  5. marcio cesar de lima brenneisen

    E esse sujeito,agora careca ja mentia sobre o processo de produçao?Caso semelhante aconteçeu com o petroleo.Prometeu e enganou muito tolo com dinheiro façil…Eiki se faX,eiki se paga.Fod….eike e sua familia de sugadores do dinheiro publico.

    Curtir

  6. Ele conseguiu acabar com um projeto muito bom colocando um motor muito ruim , fechou a fábrica e deixou os todo mundo na mão . Deve ter sido a primeira volta que ele deu em quem acreditou nele , agora vai ferver na cadeia e colocar barbante no dedo .

    Curtir

  7. Ele conseguiu acabar com um projeto muito bom colocando um motor muito ruim , fechou a fábrica e deixou os todo mundo na mão . Deve ter sido a primeira volta que ele deu em quem acreditou nele .

    Curtir