Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

JPMorgan cortará até 17 mil empregos em dois anos

Para compensar os cortes de empregos em áreas como hipotecas e banco de varejo, onde o JPMorgan vai contratar 4 mil postos de trabalho nos segmentos comercial, de investimento e cartão de crédito

Por Da Redação 27 fev 2013, 11h04

O banco JPMorgan Chase planeja cortar até 6,6% do seu quadro de funcionários, entre eles profissionais que ajudaram a instituição a lidar com perdas com empréstimos imobiliários. Descontadas as contratações das demissões, o saldo líquido será de 17 mil postos de trabalho a menos na folha de pagamento até o fim de 2014 (os 6,6% do total de empregados).

Para compensar os cortes de empregos em áreas como hipotecas e banco de varejo, onde o JPMorgan vai contratar 4 mil postos de trabalho nos segmentos comercial, de investimento e cartão de crédito, de acordo com executivos do banco. As áreas de varejo e hipotecária estão em fase de recuperação e reestruturação por causa da crise do setor imobiliário americano que estourou em 2008 e das novas formas de varejo bancário que surgiram.

Apesar de o banco prever uma receita recorde neste ano, as redução de postos de trabalho refletem a pressão sobre os bancos, ainda que o mercado imobiliário e a economia dos Estados Unidos como um todo mostrarem sinais de recuperação. Muitos bancos estão se esforçando para automatizar negócios para aumentar a produtividade e lucratividade.

Só nas agências, onde o banco planeja cortar cerca de 6 mil caixas e outros empregados, o JPMorgan espera que os clientes usem caixas automáticos para operações diárias e que os funcionários que continuarem se foquem em atividades de maiores margens, como venda serviços de assessoria financeira.

Leia também:

JPMorgan tem lucro recorde de US$ 21,3 bi em 2012

(com agência Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade