Clique e assine com até 92% de desconto

Jornais espanhois destacam desafio econômico dos 13 ministros eleitos por Rajoy

Por Pierre-Philippe Marcou 22 dez 2011, 09h49

Os principais jornais espanhois destacaram nesta quinta-feira a prioridade das questões econômicas ao analisar a formação da nova equipe de 13 ministros do governo, eleita pelo novo presidente, o conservador Mariano Rajoy.

Segundo o jornal de centro-esquerda, El País, Mariano Rajoy, de 56 anos, formou uma equipe a sua imagem, moderada e centrista, após a vitória esmagadora do Partido Popular nas eleições legislastivas de 20 novembro, que lhe deram uma maioria absoluta no Parlamento.

“Agora só falta a confirmação prática da imagem que esse ministério passa. O país está preocupado com a crise e ansioso por seu programa”, disse o jornal.

Para o jornal conservador ABC, o governo formado está preparado para enfrentar a crise, mas “devido ao fraco orçamento terá que aplicar políticas mais austeras do que nunca”.

O Conselho de Ministros adotará medidas econômicas de urgência em 30 de dezembro.

Continua após a publicidade

Rajoy já anunciou novos cortes para 2012 no setor público, por um total de 16,5 bilhões de euros ao menos, para tentar reduzir o déficit do país.

Entre os novos ministros, o posto mais comentado foi o do ministro da Economia, Luis de Guindos, 51 anos, ex-diretor do banco Lehman Brothers para Espanha e Portugal, de 2006 a 2008, e secretário de Estado de Economia entre 2002 e 2004.

O novo ministro da Fazenda e Administrações Públicas, Cristóbal Montoro, 61 anos, será responsável junto de Guindos de colocar a economia espanhola no caminho do crescimento novamente, diante de uma forte ameaça de recessão e castigada com uma elevada porcentagem de desemprego, de 21,52%, um recorde entre os países industrializados.

O jornal de centro-direita El Mundo destacou a experiência de Montoro e disse que ele terá “a difícil e ingrata tarefa de cortar o gasto público e colocar as contas em dia”.

Apenas quatro mulheres foram designadas ministras, sendo uma delas Soraya Sáenz de Santamaría, a mais jovem do governo, com 40 anos, que ocupará o cargo de vice-presidente do executivo e será a porta-voz do gabinete.

Continua após a publicidade
Publicidade