Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Jobs será lembrado ao lado de da Vinci, diz executivo

Por Da Redação - 6 out 2011, 11h58

Por Gabriel Bueno

Londres – Vários executivos e empresas lamentaram hoje a morte de Steve Jobs, cofundador da Apple. Masayoshi Son, o executivo-chefe da Softbank, empresa de telecomunicações com a qual a Apple lançou o iPhone e o iPad no Japão, comparou Jobs a um dos maiores gênios da história da humanidade. “Ele era realmente um gênio de nossa era, um homem com rara habilidade para fundir arte e tecnologia. Durante séculos, ele será lembrado ao lado de Leonardo da Vinci. Suas descobertas continuarão a brilhar para sempre.”

O executivo-chefe da General Electric (GE), Jeff Immelt, qualificou Jobs como “um herói para todos nesta geração” e definiu sua morte como uma tragédia. Segundo ele, Jobs era “tanto um sonhador como um fazedor”, responsável por tornar a Apple “uma máquina de execução” em termos de desempenho, além de destacar sua atenção aos detalhes.

A Foxconn Technology, uma gigante de Taiwan do setor de tecnologia da informação e grande fornecedora da Apple, qualificou Jobs como um “verdadeiro herói”. Um comunicado do fundador da Foxconn, Terry Gou, destacou que Jobs ajudou a fazer da tecnologia algo belo, mudando a vida de pessoas pelo mundo.

Publicidade

Os dois executivos-chefes da fabricante de softwares alemã SAP disseram que o mundo perdeu “um visionário, um criador e uma boa pessoa”. Bill McDermott e Jim Hagemann destacaram as ideias que representaram rupturas, “realizadas em uma escala quase ilimitada”.

O chairman da China Mobile, Wang Jianzhou, enviou uma mensagem de condolências à Apple. Em nome da empresa, Wang destacou o extraordinário espírito inovador de Jobs. “Eu conheci o sr. Jobs, seu fervor e sua paixão por sua causa são inesquecíveis.” As informações são da Dow Jones.

Publicidade