Clique e assine a partir de 9,90/mês

Japão tenta conter apreciação do iene após falha do BoJ

Governo emite raro comunicado com explicações sobre compras de bônus

Por Da Redação - 1 Maio 2012, 13h15

A última flexibilização do crédito feita pelo Banco do Japão fez pouco para interromper o avanço do iene. A moeda atingiu a máxima em dois meses, pressionando novamente o governo, que foi obrigado a emitir nesta terça-feira um raro comunicado com medidas defensivas.

A “intervenção verbal” não conseguiu reverter a valorização do iene em meio às suspeitas de que as autoridades japoneses podem intervir no mercado a qualquer momento para enfraquecer a moeda. A aceleração na alta da divisa pode levar Tóquio a uma intervenção porque o fortalecimento da moeda provavelmente impedirá o crescimento da economia. A expansão do PIB é vista, aliás, como crucial para que o governo coloque em vigor o planejado aumento no imposto sobre as vendas.

“Estamos preocupados com a rápida apreciação do iene desde o final da semana passada”, afirmou o vice-ministro de Assuntos Internacionais, Takehiko Nakao, acrescentando que esses movimentos refletem a especulação do mercado. “Continuaremos a monitorar de perto o mercado com cautela para podermos agir no momento certo da forma apropriada quando necessário”, afirmou.

A decisão do BoJ em fevereiro de aumentar as compras de bônus do governo em 10 trilhões de ienes e se comprometer claramente com a inflação a 1% pegou os mercados de surpresa, elevando o dólar acima de 84 ienes em meados de março. Mas o ministro de Finanças parece acreditar que a intervenção ainda desempenha um papel importante, ainda que as ações do BoJ para enfraquecer o iene sejam bem-vindas.

Continua após a publicidade

A intervenção anterior resultou na estabilidade do iene durante os meses subsequentes pela absorção das ordens de compra de exportadores japoneses, tendo ajudado a afastar especuladores, afirmaram autoridades do governo. “O mercado conhece seu impacto”, acrescentaram.

(com Agência Estado)

Publicidade