Clique e assine a partir de 8,90/mês

Japão não descarta intervenção para desvalorizar iene

Segundo o governo japonês, a depreciação de sua moeda é necessária para reativar o crescimento econômico e lutar contra a deflação

Por Da Redação - 12 out 2010, 04h46

O ministro de Finanças japonês, Yoshihiko Noda, disse nesta terça-feira que o Executivo adotará medidas “decisivas” para resistir à constante alta do iene frente ao dólar, o que poderia incluir uma nova intervenção do governo no mercado de divisas.

“Vamos observar com seriedade o movimento do mercado de divisas e adotar, se necessário, uma medida decisiva, o que inclui uma intervenção”, declarou Noda, citado pela agência “Kyodo”.

O dólar abriu nesta terça-feira em Tóquio valendo 82,31 ienes, o que corresponde a um dos mais baixos níveis frente à moeda japonesa em 15 anos, numa situação que alimenta a deflação no Japão e prejudica os exportadores.

O G7 (grupo que reune as sete nações mais industrializadas do mundo) reiterou neste fim de semana que a excessiva volatilidade dos mercados cambiais é desfavorável à economia global.

Na reunião de ministros de Finanças do G7 e do G20 (países ricos e emergentes) em Washington, Noda defendeu a posição de seu governo ao insistir que a depreciação do iene é necessária para reativar o crescimento econômico e lutar contra a deflação.

O governo de Tóquio interveio em 15 de setembro no mercado de divisas, pela primeira vez em seis anos e meio, para baratear o iene.

A força do iene prejudica o importante setor de exportações do Japão e põe em perigo a manutenção da recuperação da economia local, que também enfrenta o problema da deflação.

(com Agência EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade