Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Itaú reduz projeção para o superávit primário

Resultado fiscal mais fraco no primeiro trimestre fez a instituição financeira baixar meta para 1,3% do PIB ante 1,9% do governo federal

O Departamento Econômico do Itaú Unibanco trabalha com a previsão de que o governo encontrará dificuldade para entregar a meta de superávit fiscal de 1,9%, na proporção do PIB, conforme tem prometido o Ministério da Fazenda.

A projeção do banco é a de que o superávit primário – economia para o pagamento dos juros da dívida – este ano atinja apenas 1,3% do PIB. “Essa diferença de 0,6 ponto porcentual entre nossa previsão e a do governo se dá pela decepção que esperamos em relação à arrecadação”, disse Ilan Goldfajn, economista-chefe do Itaú Unibanco.

Leia ainda: Governo precisa de R$ 10 bilhões extras para fechar as contas do ano

O economista ampara a projeção na comparação do resultado fiscal no primeiro trimestre do ano passado com o primeiro deste ano. No ano passado, o superávit foi de 2% e neste ano, de 1,7%.

(Com Estadão Conteúdo)