Clique e assine com 88% de desconto

Itaú anuncia redução na taxa do crédito imobiliário

Juros mínimos caíram de 8,1% mais TR para 7,45% mais TR; banco havia repassado queda da Selic para empréstimo pessoal e capital de giro

Por da Redação - 27 set 2019, 17h04

O Itaú vai reduzir de 8,1 mais taxa referencial (TR) para 7,45 mais TR a taxa de juros mínima para financiamentos imobiliários, informou o banco nesta sexta-feira, 27. Os valores são unificados para as linhas de Sistema Financeiro da Habitação (SFH), Sistema Financeiro Imobiliário (SFI) e Carteira Hipotecária (CH).

“O mercado imobiliário está crescendo, a compra de um imóvel é uma decisão relevante na vida das pessoas. Queremos participar desse momento. É uma oportunidade de viabilizar sonhos e estabelecer uma relação de longo prazo com nossos clientes. Além, é claro, de contribuir para a retomada do setor”, afirma Cristiane Magalhães, diretora do Itaú Unibanco. A nova taxa mínima começa a valer em 1º de outubro e varia conforme  o perfil do cliente e de seu relacionamento com o banco.

Segundo a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), o Itaú Unibanco figura na primeira posição de mercado entre os bancos privados no país em concessão de crédito imobiliário para pessoas físicas em 2019. A carteira total de crédito imobiliário do banco é de mais de 49 bilhões de reais, dos quais 44 bilhões de reais são de financiamentos para pessoas físicas.

“O Itaú Unibanco sempre busca manter a melhor relação custo-benefício para seus clientes, reiterando seu posicionamento de manter preços competitivos no mercado, sem abrir mão de apresentar qualidade em seus serviços e produtos de valor agregado”, disse a instituição em nota.

Publicidade

 TR. O banco, no entanto, ainda não anunciou se irá aderir ao financiamento com base na inflação. Em agosto, a Caixa lançou uma linha de juros baseada no Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) mais taxa pré-fixada.

A redução no crédito imobiliário foi a segunda anunciada pelo banco neste mês. No dia 18, logo após o Banco Central decidir pelo corte da Selic, a taxa básica de juros da economia, a taxa mínima do crédito imobiliário caiu de 8,3 mais TR para os 8,1%. O banco também anunciou repasse da a queda da  Selic em linhas de empréstimo pessoal (pessoa física) e capital de giro (pessoa jurídica). O Comitê de Política Monetária (Copom) baixou de 6% para 5,5% a taxa básica de juros da economia.

 

Publicidade