Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Irã aconselha ministro do Petróleo saudita a evitar declarações insensatas

Teerã 17 jan (EFE).- O titular do Ministério das Relações Exteriores do Irã, Ali Akbar Salehi, aconselhou os responsáveis pelo petróleo da Arábia Saudita a evitarem declarações ‘insensatas’, após os recentes comentários do ministro do Petróleo saudita, Ali Al-Naimi.

Na segunda-feira, o ministro saudita disse que seu país poderia compensar rapidamente as exportações de petróleo do Irã, caso as potências ocidentais aplicassem novas sanções contra Teerã por seu programa nuclear.

Salehi reagiu dizendo: ‘esperamos que os países do Golfo Pérsico, principalmente a Arábia Saudita, evitem fazer discursos insensatos’, pois esse tipo de declaração afetará as relações e é possível que no futuro causem problemas.

O ministro iraniano considerou que se a declaração de Naimi expressar a opinião oficial de Riad, ‘não é sinal de amizade’.

No entanto, Salehi se mostrou confiante de que ‘a questão referente ao aumento da produção de petróleo seja apenas a opinião de Naimi’ e que certamente o Governo saudita tem outra postura.

O Irã é alvo de uma polêmica por seu programa nuclear, que para parte da comunidade internacional – com os Estados Unidos à frente – tem uma finalidade militar destinada a fabricar bombas atômicas, o que Teerã nega e afirma que é exclusivamente civil e com objetivos pacíficos.

Os EUA e Israel ameaçaram o Irã com ataques para evitar o desenvolvimento de seu programa nuclear, ao que Teerã revidou alegando que dará uma resposta ‘esmagadora’.

O Irã ameaçou bloquear o Estreito de Ormuz, fundamental para o abastecimento mundial de petróleo por suportar mais de um terço do transporte desse combustível para os mercados, se os EUA e seus aliados continuarem com suas sanções em represália a seu programa nuclear. EFE