Clique e assine com 88% de desconto

IPCA sobe 0,47% e estoura o teto da meta de 6,5% em 12 meses

Alta do indicador desacelera ante fevereiro mas ultrapassa o teto da meta e vai a 6,59% em dado anualizado

Por Da Redação - 10 abr 2013, 09h26

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu 0,47% em março, após alta de 0,60% em fevereiro, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quarta-feira. No acumulado de 12 meses até março, o IPCA avançou 6,59% no mês passado, mostrando alta ante os 6,31% de fevereiro, e estourando o teto da meta do governo, de 6,5%. Em março de 2012 a taxa havia ficado em 0,21%.

Analistas esperavam alta de 0,50% no mês passado, segundo a mediana de 23 projeções, com as projeções variando entre 0,45% a 0,54%. Para o acumulado em 12 meses, a expectativa era de 6,62% segundo a mediana de 21 estimativas, com as estimativas variando de 6,57% a 6,70%.

Leia também:

Mercado aposta em alta dos juros a partir de maio

Publicidade

Inflação acima da meta comprova descaso do governo

Segundo o IBGE, a desaceleração do IPCA de março teve foi forte influência do segmento Educação, cujos preços avançaram 0,56% em março, ante alta de 5,4% em fevereiro. De acordo com o instituto, à exceção dos grupos habitação (de -2,38% em fevereiro para 0,51% em março) e comunicação (de 0,10% para 0,13%), os demais apresentaram resultados abaixo dos registrados no mês anterior:

Os alimentos também se mostraram em desaceleração de fevereiro para março, com a alta passando de 1,45% para 1,14%. Mesmo assim, o grupo mantem-se como vilão da inflação, responsável por 60% da composição do índice em março. O aumento do preço do tomate, que subiu mais de 100% no último ano, desacelerou em março para 6,14%, ante alta de 20,17% em fevereiro.

Também perderam força as altas dos grupos vestuário (de 0,55% para 0,15%) e artigos de residência (de 0,53% para 0,11%). O grupo despesas pessoais mostrou, igualmente, desaceleração, passando de 0,57% em fevereiro para 0,54% em março, apesar do avanço de preços dos serviços de empregados domésticos, 1,12% em fevereiro para 1,53% em março.

Publicidade

Leia mais:

Mantega admite: desoneração da cesta básica é para combater inflação

Governo zera alíquota de PIS/Cofins para smartphone

Governo inclui mais setores na desoneração da folha

Publicidade