Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Interessados em leilão de aeroportos entregam propostas nesta 2ª

Os envelopes deverão conter a proposta econômica, a garantia dessa oferta e documentos de habilitação jurídica, econômico-financeira e técnica

As empresas e consórcios interessados em participar dos leilões dos aeroportos internacionais Antônio Carlos Jobim – Galeão (RJ) e Tancredo Neves – Confins (MG) terão até as 16 horas desta segunda-feira para entregar os envelopes com suas propostas na BM&FBovespa, em São Paulo.

Os envelopes deverão conter a proposta econômica, com o valor de contribuição fixa a ser pago ao governo, a garantia dessa oferta, e documentos de habilitação jurídica, econômico-financeira e técnica. O valor da contribuição fixa para o aeroporto de Galeão deve ser superior a 4,828 bilhões de reais, enquanto para o aeroporto de Confins, o valor mínimo é de 1,096 bilhão de reais.

Na próxima quinta-feira, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) divulgará os nomes de grupos interessados que não foram habilitados para disputar o leilão dos dois aeroportos, por não terem entregue toda a documentação exigida.

Na sexta-feira, as propostas econômicas serão abertas durante sessão pública de leilão, que deverá ter início às 10 horas, também na sede da BM&FBovespa. Caso as propostas apresentadas tenham valores próximos uma das outras, poderá haver disputa em viva-voz.

Leia mais:

MPF pede a suspensão do leilão de concessão do Galeão

Relatório expõe a peneira da segurança no Galeão

Interessados – De acordo com a Agência Estado, pelo menos seis consórcios participarão da disputa: EcoRodovias e Fraport (operadora do aeroporto de Frankfurt), CCR e as operadoras suíça Flughafen Zurich (Zurique) e alemã Flughafen München (Munique); Queiroz Galvão e Ferrovial (Heathrow, Londres); Odebrecht TransPort e Changi (Cingapura); Carioca Engenharia e GP Investimentos com as operadoras ADP (Paris) e Schipol (Amsterdã); as construtoras Fidens e Galvão, com Grupo Libra e a ADC/HAS (Houston). A espanhola Aena, que chegou a acertar uma parceria com a Engevix para participar da disputa, desistiu do leilão. O grupo italiano Atlantia, que tem uma joint-venture com o grupo Bertin, a AB Concessões, também não vai participar, conforme anunciado pela empresa no fim de semana.

Leia ainda: Anac e BM&FBovespa apresentam formato do leilão de Confins e Galeão

Não há previsão para novo leilão de aeroportos, diz Bittencourt

Procedimentos – Pelas regras do atual certame, que são semelhantes ao processo de concessão de Guarulhos, Viracopos e Brasília de fevereiro de 2012, a disputa pelos dois aeroportos é simultânea e um mesmo consórcio não poderá arrematar mais do que um aeroporto.

A única alteração nos procedimentos do leilão em relação ao processo anterior está na possibilidade de um consórcio que apresentar propostas para os dois aeroportos e, se vier a ser o único ofertante em um deles, poder continuar a disputa pelo outro na fase de lances a viva-voz. Na concessão de 2012, o grupo que, tendo apresentado propostas para mais de um dos três aeroportos, fosse único ofertante em um deles, seria automaticamente declarado vencedor naquele em que sua proposta foi a única, ficando eliminado da disputa pelos outros aeroportos.

A Anac salienta que a previsão desse novo cenário de disputa tem como objetivo estimular a concorrência. “Com isso, incentiva-se que os consórcios apresentem propostas para os dois aeroportos e não somente para aquele de sua maior preferência, podendo, dessa forma, continuar a disputar o outro caso não vença o leilão do aeroporto de seu maior interesse”, afirma a agência, em comunicado.

A Anac não deverá divulgará antecipadamente o número e a formação dos consórcios que estarão aptos a participar do leilão, diferente do que faz outras agências reguladoras, como a de energia elétrica (Aneel) e de transportes terrestres (ANTT) em seus leilões.

Segundo a agência da aviação, o objetivo é garantir a máxima concorrência entre eles. “A incerteza sobre a identidade dos participantes é fundamental para garantir o sucesso da concorrência no certame”, disse o diretor-presidente da Anac, Marcelo Guaranys, por meio de nota. A composição de todos os consórcios que tiverem participado do leilão, vencedores e perdedores, só será conhecida após o final do pleito.

(com Estadão Conteúdo)