Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Instabilidade ampliou terceirização de frotas, diz Abla

Por Da Redação
23 Maio 2012, 15h28

Por Wladimir D’Andrade

São Paulo – O presidente do Conselho Nacional da Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis (ABLA), Paulo Gaba Júnior, afirmou nesta quarta-feira que o setor de locação de veículos soube tirar vantagem da instabilidade econômica do ano passado com a crise internacional e a desaceleração do crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro. De acordo com ele, o cenário desestimulou as empresas a comprar veículos, o que tornou o aluguel uma opção mais vantajosa.

“A crise fez as empresas desistirem de comprar veículos e a buscar o aluguel para suas operações”, explicou. Mais da metade, ou 55%, da frota do setor é utilizada na terceirização, ou seja, na locação para pessoas jurídicas.

Gaba Jr. creditou o aumento de 10,9% no faturamento do setor em 2011 ante o ano anterior ao aumento de preços dos serviços prestados pelas locadoras. “Aumentamos em 7,5% a frota de veículos, mas o faturamento apresentou crescimento maior, o que demonstra que houve uma pequena recuperação de preços”, disse. “Um setor que cresceu três vezes mais do que o PIB do Brasil só tem o que comemorar.”

Continua após a publicidade

O otimismo do dirigente é tanto que, em sua avaliação, o setor de locação pode ser o responsável por “salvar” a indústria automotiva em 2012, com perspectiva de aumentar a participação no total de vendas de veículos, feitas pelas montadoras e importadoras em todo o País, dos atuais 8,7% para uma faixa entre 15% e 20%. “Quem vai comprar agora é frota, que vai recuperar o setor automotivo neste ano”, disse, após apresentar os resultados do setor.

Ele afirma que o setor pode chegar ao “melhor dos mundos” em 2012 em função das medidas de estímulo para compra de veículos anunciadas na segunda-feira. “Estamos vivendo uma situação diferente da de 2008, quando o governo também deu incentivos”, disse. “Quem vai comprar hoje é frotista, porque o consumidor ainda está pagando o financiamento de quatro ano atrás.”

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.