Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Inflação jamais saiu do controle em 17 anos, diz Tombini

Presidente do BC afirmou no Rio que estouro da meta está prevista dentro do regime e é administrável

Por Da Redação 20 Maio 2016, 15h02

Embora a inflação tenha superado o teto da meta de tolerância do governo em alguns anos recentes, ela jamais saiu do controle desde que foi implantado o regime de metas de inflação, defendeu nesta sexta-feira Alexandre Tombini, presidente do Banco Central. Segundo Tombini, essas situações de estouro da meta estão previstas e são administráveis dentro do próprio regime.

“Mas, em nenhuma circunstância, a inflação saiu do controle nesses dezessete anos do regime de metas de inflação”, declarou Tombini, que participa nesta sexta da abertura do XVIII Seminário Anual de Metas para a Inflação, no Rio.

O presidente do BC, que deverá ser substituído por Ilan Goldfajn na equipe do governo de Michel Temer, defendeu que o regime de metas tem simplicidade, transparência, é flexível e de fácil aferição pela sociedade. “A sociedade sabe quando os resultados são aderentes aos objetivos estabelecidos”, discursou.

No cenário internacional, o sistema encontra amplo apoio, enquanto que, no Brasil, superou críticas. O sistema foi testado em diversas ocasiões, inclusive em momentos de inflação severa, e foi a manutenção dos princípios do regime que permitiu que a inflação fosse mantida sob controle, avaliou.

Leia mais:

Ilan Goldfajn assume o BC sob apostas de que ciclo de corte de juros se aproxima

Segundo ele, a transparência é crucial para o regime de metas de inflação, um dos pilares do tripé macroeconômico em curso no Brasil. “É uma boa conquista, um verdadeiro bem público para a sociedade”, disse Tombini.

O presidente do BC afirmou que a autoridade monetária procura adotar o princípio de separação entre a política monetária e a política macroprudencial. A primeira cuida da estabilidade de preços e a segunda, da estabilidade financeira. O objetivo central do BC é assegurar a segurança macroeconômica.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês