Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Inflação do aluguel perde força e desacelera para 0,29% em novembro

Segundo a FGV, o IGP-M passou de uma alta de 0,86% em outubro para 0,29% em novembro

Por Da Redação 28 nov 2013, 08h22

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), muito usado para reajustes de contratos de aluguel, caiu de 0,86% em outubro para 0,29% em novembro, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta quinta-feira. O resultado ficou abaixo das estimativas dos analistas do mercado financeiro consultados, cuja mediana foi de 0,32%. No ano, o IGP-M acumula uma alta de preços de 4,88%, enquanto a taxa em 12 meses até novembro é de 5,60%.

Entre os três indicadores que compõem o IGP-M, o IPA-M, inflação do atacado, recuou de 1,09% em outubro para 0,17% em novembro. Na mesma base de comparação, o IPC-M, que mede os preços ao consumidor, subiu de 0,43% para 0,65%. O INCC-M, indicador dos custos da construção civil, desacelerou de 0,33% para 0,27% no período.

Leia mais:

Em última reunião do ano, Copom eleva Selic aos dois dígitos

Inflação oficial acelera para 0,35% em setembro​

Continua após a publicidade

Mantega se diz satisfeito com resultado do IPCA e promete ficar alerta com a inflação

Os preços dos produtos agropecuários no atacado caíram 0,06% em novembro, após registrarem alta de 0,49% em outubro. Os preços de produtos industriais avançaram 0,25% ante alta de 1,32% no mês anterior.

Os preços dos bens intermediários – os que são consumidos na produção de outros bens – recuaram 0,06% em novembro ante avanço de 0,70% em outubro. Os dos bens finais tiveram alta de 0,02%, bem menor do que a aceleração, de 0,76%, vista em outubro. Já os preços das matérias-primas brutas subiram 0,60% em novembro, após avanço de 1,95% no mês anterior.

Diante do cenário de inflação elevada no país, ainda distante do centro da meta do governo, de 4,5% pelo IPCA (medidor oficial), o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central decidiu na quarta-feira elevar a Selic a 10%.

Aluguel – O IGP-M é utilizado como referência para a correção de valores de contratos, como os de energia elétrica e aluguel. Ele calcula as variações de preços no período entre os dias 21 do mês anterior e 20 do mês de referência.

(com Estadão Conteúdo e agência Reuters)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês