Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Inflação desacelera para 0,55% em janeiro

IPCA para o mês de janeiro é o menor desde 2009, quando o índice foi de 0,48%

A inflação oficial medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) desacelerou neste início do ano. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o IPCA subiu 0,55% em janeiro, abaixo da alta vista no mesmo mês de 2013 (0,86%) e da registrada em dezembro (0,92%). Em 12 meses até janeiro, a inflação somou 5,59%, abaixo do acumulado em 2013, de 5,91%.

Segundo dados do IBGE, divulgados nesta sexta-feira, alguns grupos pesaram menos em janeiro do que haviam pressionado em dezembro, como o de Transportes. No último mês de 2013, este segmento representou 0,35 ponto porcentual (p.p.) dos 0,91% do índice cheio; agora, o grupo ajudou a baixar a inflação: o impacto caiu para -0,01 p.p. do IPCA cheio. “Isto por conta das passagens aéreas, que caíram 15,88% ante o aumento de 20,13% de dezembro, aliadas aos combustíveis, que de 4,12% foram para 0,77%”, diz o IBGE no relatório.

Além disso, os preços da gasolina subiram 0,60% em janeiro, bem menos do que em dezembro (4,04%). No fim do ano passado, o preço do combustível disparou com o reajuste de 4% que entrou em vigor nas refinarias a partir de 30 de novembro.

Leia mais:

Petrobras anuncia reajuste de 4% para gasolina e 8% para o diesel

Saiba por que o preço dos combustíveis terá de subir

Por outro lado, os alimentos ainda continuam pesando no índice e responderam por 0,21 p.p. de 0,55% do IPCA cheio de janeiro. Isso mesmo com a alta um pouco mais moderada no preço dos alimentos: em dezembro o grupo registrou alta de 0,89% e, em janeiro, de 0,84%. “O item carnes, com alta de 3,07%, se destacou por exercer o mais forte impacto individual no índice de janeiro, 0,08 ponto porcentual. Na região metropolitana do Rio de Janeiro os preços chegaram a aumentar 5,88%”, diz o IBGE.

Leia ainda: Inflação da baixa renda acelera para 0,71% em janeiro

Sem saída, Dilma pede apoio do Congresso para controlar inflação