Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Inflação de março é a menor para o mês desde o Plano Real

Índice subiu 0,09%, puxado principalmente por reajustes no grupo saúde, cuidados pessoais e habitação

A inflação medida pelo  Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) variou 0,09% em março, bem abaixo do resultado de fevereiro, que subiu 0,32%, segundo divulgou o IBGE nesta terça-feira 10. Tanto a variação mensal quanto o acumulado no ano representaram o menor nível para um mês de março desde a implantação do Plano Real. Nos três primeiros meses do ano, o índice ficou em 0,70%. A meta de inflação para 2018 é de 4,5%, com margem de tolerância de 1,5 ponto porcentual.

O acumulado dos últimos doze meses caiu para 2,68%, depois de registrar 2,84% nos doze meses imediatamente anteriores. Em março de 2017, o IPCA havia atingido 0,25%.

Entre os nove grupos de produtos e serviços pesquisados, transportes (-0,25%) e comunicação (-0,33%) apresentaram deflação em março.

No lado das altas, o grupo saúde e cuidados pessoais apresentou a maior variação no mês (0,48%). Nesse grupo, o destaque foi o item plano de saúde, com aumento de 1,06%.

O grupo alimentação e bebidas, após cair 0,33% em fevereiro, teve alta de 0,07% em março. Apesar da aceleração no preço das frutas, com elevação de 5,32% e o maior impacto individual no indicador, os alimentos registraram queda em março. Os destaques na redução foram carnes (-1,18%), tomate (-5,31%) e frango inteiro (-2,85%). Já a alimentação fora de casa acelerou de fevereiro (0,18%) para março (0,52%).

No grupo habitação, a alta de 0,19% foi impulsionada pela energia elétrica (0,67%) devido à apropriação dos reajustes de 9,09% e 21,46% nas tarifas das concessionárias do Rio de Janeiro, em vigor desde 15 de março.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Atsushi Shiino

    Devido aos constantes baques econômicos, o parque industrial brasileiro tem um tamanho insuficiente para demanda caso o consumo da classe B volte ao patamar normal, muito menos se a classe C e D voltar a consumir plenamente.

    Curtir