Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Inflação anual é a menor em abril desde 2009, mostra OCDE

Brasil não faz parte do bloco, mas foi apontado no relatório como um exemplo de país emergente que apresentou desaceleração de preços em relação a março

O indicador de preços dos 34 países-membros da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) subiu 1,3% no ano em abril ante o mesmo mês do ano passado – desaceleração ante a alta de 1,6% de março. Este é o nível mais baixo de preços desde outubro de 2009.

No entanto, os dados da OCDE mostraram que em diversas economias em desenvolvimento – que não são membros da organização – a inflação acelerou em abril. Na China, a inflação passou de 2,1% em março para 2,4% em abril e, na Rússia, avançou para 7,2% ante 7,0%. O Brasil, que não pertence ao bloco, foi apontado como um exemplo de desaceleração, com a inflação passando de 6,6% em março para 6,5% em abril. Na Índia a inflação também diminuiu de 11,4% para 10,2%.

Leia mais: Inflação afeta renda e dificulta queda da inadimplência

Em prévia, inflação desacelera em maio para 0,46%

A inflação desacelerou de 1,5% em março para 1,1% em abril nos EUA. Já na zona do euro, os preços caíram de 1,7% para 1,2% entre o terceiro e o quarto mês do ano. No Japão a deflação prosseguiu em abril, com queda de 0,7% nos preços ao consumidor, após o recuo anual de 0,9% registrado no mês anterior.

Entre os membros da OCDE, os preços da energia (que inclui o setor de petróleo) caíram 1,3% em abril, na comparação com o mesmo mês do ano passado, depois de subirem 0,9% em março na mesma relação. Já os preços dos alimentos aumentaram 2,0% em abril, após 1,7% em março. Excluindo energia e alimentos, que são componentes voláteis, o núcleo da inflação teve alta anual de 1,4% em abril, frente o avanço de 1,6% em março.

(com Estadão Conteúdo)