Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Indústria nos EUA tem em dezembro maior alta em 6 meses

Atividade manufatureira no país cresceu no ritmo mais rápido em seis meses; dado de novas encomendas sugere recuperação da economia

Por Da Redação - 3 jan 2012, 14h08

A atividade manufatureira nos Estados Unidos cresceu em dezembro em seu ritmo mais rápido em seis meses, ampliando o ritmo no final de ano no setor, enquanto uma alta nas novas encomendas sugeriu boas perspectivas para 2012.

O Instituto de Gestão do Fornecimento (ISM, na sigla em inglês) informou que seu índice nacional de atividade fabril subiu para 53,9 em dezembro, a melhor leitura desde junho, ante 52,7 em novembro. O dado superou as expectativas de economistas, que previam um número de 53,2. Leituras acima de 50 indicam expansão.

“No todo, é um relatório muito bom”, disse o economista-chefe do RBC Capital Markets, Tom Porcelli, em Nova York. “Não estamos agora num ritmo forte, mas também não estamos colapsando. Isso é consistente com nossa visão geral sobre a economia em 2012.”

As novas encomendas – que para economistas é um indicador que antecede a atividade no setor – subiu para 57,6, ante 56,7.

Publicidade

O componente de emprego saltou para 55,1, frente a 51,8. O desempenho desse dado – que também atingiu seu maior nível desde junho – foi animador, tendo em vista uma economia que luta para superar uma taxa de desemprego de 8,6%, disse Porcelli. Dados previstos para esta sexta-feira devem mostrar que os Estados Unidos criaram 165 mil novos postos de trabalho em dezembro, mas também um ligeiro aumento no desemprego.

Os números industriais sugerem, por fim, que o setor manufatureiro americano está se saindo melhor que o de outras partes do mundo. Dados divulgados nesta semana mostraram que o setor industrial da zona do euro sofreu seu quinto mês consecutivo de contração em dezembro, enquanto as fábricas na Ásia também tiveram um mês fraco. Na Grã-Bretanha, dezembro fechou o pior trimestre para o setor em mais de dois anos.

Construção civil – O gasto com construção civil nos EUA também saltou em novembro para o nível mais alto em quase um ano e meio, conforme o investimento em projetos públicos e privados cresceram consistentemente, reforçando expectativas de um forte crescimento econômico no quarto trimestre.

O gasto com construção avançou 1,2%, para uma taxa anual de 807,1 bilhões de dólares, maior nível desde junho de 2010, informou nesta terça-feira o Departamento do Comércio dos Estados Unidos.

Publicidade

(com Reuters)

Publicidade