Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Indústria de private equity movimentou R$ 80 bi em 2012

Cifra é 27% superior à verificada em 2011, segundo a ABVCAP

O capital comprometido dos fundos de private equity e de venture capital (que compram participações em empresas) no Brasil totalizou cerca de 80 bilhões de reais no ano passado, cifra 27% superior à vista um ano antes, de 63 bilhões de reais. As informações são da Associação Brasileira de Private Equity e Venture Capital (ABVCAP). Esse volume corresponde aos recursos que os fundos se comprometeram em investir no Brasil, mas não necessariamente já foram alocados. “Parte dos 80 bilhões de reais, que é um número bastante expressivo, já foi investida e outra parte será alocada nos próximos anos”, disse Luiz Eugenio Figueiredo, vice-presidente da ABVCAP e sócio-diretor da Rio Bravo Investimentos.

Já o volume de investimentos dos fundos atingiu 14,9 bilhões de reais em 2012 ante 11,9 bilhões de reais desembolsados no ano anterior. O montante é 25,2% superior e, segundo o presidente da ABVCAP, Clóvis Meurer, deve se repetir em 2013, apesar de alguns investidores se mostrarem mais cautelosos. “As perspectivas para 2013 e 2014 são boas. Há muitas oportunidades no Brasil, em infraestrutura e em outros setores, e os investidores estão procurando alternativas para rentabilizar melhor seus investimentos em meio aos juros menores”, avaliou ele, acrescentando que a indústria deve crescer entre 20% e 30% este ano, média que tem sido vista no segmento nos últimos exercícios.

O volume de desinvestimento dos fundos de private equity avançou 66,7% no ano passado, saltando de 3,6 bilhões de reais em 2011 para 6 bilhões de reais em 2012. De acordo com Figueiredo, como esta cifra foi bastante alta no exercício passado, “será difícil” repeti-la em 2013. No entanto, com a reabertura para ofertas iniciais de ações (IPO, na sigla em inglês), é possível que o volume de desinvestimento, segundo ele, tenha uma “aceleração relevante” neste ano. Os dados foram compilados pela ABVCAP em parceria com a KPMG, a partir de informações oficiais extraídas da base de dados da instituição.

Leia também:

As startups descobriram o custo Brasil – e não estão contentes

GP Investimentos vai investir em infraestrutura

(Com Estadão Conteúdo)