Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Inadimplência do consumidor salta quase 20% em julho

Com os juros altos e a escalada do desemprego e da inflação, brasileiro enfrenta dificuldades para fechar as contas no fim do mês; com o aumento do calote, crédito fica mais restrito e caro

A inadimplência entre os consumidores brasileiros disparou 19,4% em julho ante igual mês do ano passado, informou a consultoria Serasa Experian nesta segunda-feira. O avanço do desemprego e da inflação e os juros elevados têm afetado a saúde financeira da população, que enfrenta cada vez mais dificuldade para manter as contas em dia.

No acumulado do ano até julho, o índice de inadimplência avançou 16,8% em comparação com o mesmo período de 2014. Em julho sobre junho deste ano, a leitura foi de um avanço de 0,6%.

No detalhamento por tipo de dívida, as dívidas não bancárias – cartões de crédito, lojas, telefone, água e energia elétrica, entre outros – avançaram 3,5% na comparação mensal. Os títulos protestados subiram 0,6%, enquanto os cheques sem fundo ficaram estáveis em julho ante junho. Por outro lado, as dívidas junto aos bancos recuaram 2,2% na mesma base de comparação, segundo dados da Serasa Experian.

A principal consequência do aumento das dívidas não pagas é o encarecimento do crédito por parte das instituições bancárias. Com o risco de tomar calote, os bancos passam a restringir mais o acesso a empréstimos e financiamentos, o que, por sua vez, derruba o consumo das famílias brasileiras.

Leia também:

Com a crise, dispara número de empresas caloteiras

Inadimplência no mercado de energia atinge recorde de R$ 1,4 bi

(Com agência Reuters)