Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

IBP quer fim da exigência da Petrobras como operadora do pré-sal

Exploração do pré-sal seria mais célere sem a obrigatoriedade, diz instituto

Por Da Redação 21 out 2013, 16h14

O Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (IBP) defendeu nesta segunda-feira o fim da obrigatoriedade da Petrobras como operadora única do pré-sal. O instituto é uma organização privada e sem fins lucrativos formada por mais de 200 empresas do setor de óleo e gás no Brasil.

Segundo o IBP, o fim da obrigatoriedade aceleraria a exploração da área das áreas a serem licitadas. “Tirar essa obrigação vai ser um grande avanço no entendimento do IBP”, disse o presidente do Instituto, João Carlos de Luca, ao chegar para o leilão, nesta segunda-feira. A Petrobras, por lei, é a operadora única do pré-sal, com no mínimo 30% de participação, mesmo que não faça parte do consórcio vencedor do leilão.

Segundo Luca, não há desconfiança com relação à capacidade técnica da petroleira, mas há limitações financeiras para uma única empresa operar o pré-sal, o que deveria levar a um debate para eventual mudança na lei atual. Ele argumenta que, pela lei atual, a empresa é obrigada a operar até os blocos que não são do seu interesse. Com o fim da obrigatoriedade, acredita, a exploração do pré-sal seria mais célere. “Distribuindo isso com o maior número de operadores na exploração do pré-sal, você tem uma maior capacidade de execução”, afirmou.

Leia também:

Reunião entre Petrobras e petroleiros termina sem acordo

Leilão de Libra acontece em meio a tumultos no RJ

“Não podemos aceitar o pessimismo”, diz Lobão, sobre o baixo interesse das petroleiras no pré-sal

(com agência Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade