Clique e assine a partir de 9,90/mês

Ibovespa cai mais de 12,53% e abre a semana com novo circuit breaker

Coronavírus e seus impactos financeiros continuam preocupando investidores após FED zerar taxa de juros nos EUA

Por Larissa Quintino - Atualizado em 16 Mar 2020, 11h34 - Publicado em 16 Mar 2020, 10h25

Mal começou a semana e a Bolsa de Valores de São Paulo (B3) já precisou paralisar novamente as negociações após quedas expressivas. Por volta das 10h24, o Ibovespa caiu 12,53%, aos 72.321 pontos e acionou mais uma vez o circuit breaker, o quinto em pouco mais de sete dias. Na volta das negociações, o índice continuou a oscilação, com recuperação lenta. Por volta das 11h31, a queda era de 10,72%, aos 73.814 pontos. O dólar comercial opera em alta de 2,89%, aos 4,95 reais.

As ações mais afetadas eram ligadas ao setor de saúde e viagens, afetados frontalmente pela pandemia causada pelo novo coronavírus.. Os papéis da Qualicorp desabavam 25,19%, enquanto Azul caía 22,95% e a Gol desabava 21,75%.

A parada de meia hora logo no início da manhã era esperada, já que o índice futuro da bolsa chegou a cair mais de 16% antes da abertura dos negócios. O mercado reage a decisão do Federal Reserve (FED, banco central dos Estados Unidos) que cortou mais uma vez a taxa de juros do país, chegando a zero. A medida visa estimular a economia afetada pela disseminação da Covid-19. Porém, as sucessivas tentativas de estímulo aumentam a preocupação com o tamanho da consequência econômica da pandemia. No Brasil, há 200 casos confirmados pelo Ministério da Saúde. A orientação é para que pessoas evitem aglomerações. Diversos estados do país suspenderam aulas.

“O FED está tentando reagir à uma crise que a política monetária tem muito pouco o que fazer, cortar os juros agora só aumenta a volatilidade ao jogar mais dinheiro na mesa de uma economia que precisa de respostas objetivas e diretas, não de maneira difusa como é o efeito esperado da política monetária”, explica André Perfeito, economista-chefe da Necton. “Esta medida irá prolongar os ruídos uma vez que impede que os agentes financeiros “deem o preço correto” aos desafios da economia real”, completou.

Continua após a publicidade

Além disso, a China divulgou nesta segunda-feira que a produção industrial despencou 13,5% em janeiro e fevereiro na comparação com o mesmo período do ano anterior, atingindo índices semelhantes à década de 1990. O período marcou o ápice do surto na segunda maior economia global. 

A preocupação não é particular apenas do mercado brasileiro, já que o Ibovespa acompanha as tendências de outros mercados. As bolsas americanas operavam nesta manhã com queda na casa dos 9%. . As bolsas europeias também operavam em queda. Por volta das 11h30, a bolsa de Frankfurt caia 7,5% e a de Londres, na casa dos 7%. Na Ásia, o índice Nikkei, em Tóquio, caiu 2,46%. Já em Xangai, a queda ficou em 3,4% no fechamento. A maior perda, no entanto, foi na Austrália, onde o tombo foi de 9,7%. 

Paradas

O circuit breaker é usado como ferramenta de segurança para interromper todas as operações da B3, disparada quando ocorrem fortes quedas atípicas nos preços das ações. Após o retorno, caso caia mais 5%, um novo circuit breaker é acionado por uma hora. Se no total a bolsa cair 20%, os negócios são parados em definitivo no dia. 

Publicidade