Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

IBGE: safra 2014 será de 193,9 mi de toneladas

Culturas de soja, milho e arroz responderão por 92,5% da estimativa da produção e 85,5% da área a ser colhida

Por Da Redação 11 fev 2014, 09h41

Em seu primeiro relatório mensal de estimativas para a produção agrícola em 2014, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) projeta uma safra agrícola de 193,9 milhões de toneladas. Se confirmada, a safra será 3% superior à produção de 2013, que foi de 188,2 milhões de toneladas. O montante também é 2,3% maior do que o previsto no 3º Prognóstico para a Safra de 2014. Os números levam em consideração a colheita da safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas (caroço de algodão, amendoim, arroz, feijão, mamona, milho, soja, aveia, centeio, cevada, girassol, sorgo, trigo e triticale).

Leia mais:

Safra bate recorde em 2013: 188,2 milhões de toneladas

Economia brasileira recua 0,5% no terceiro trimestre

No Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) de janeiro, a estimativa da área a ser colhida em 2014 é de 55 milhões de hectares, 4,2% maior do que a de 2013 (52,8 milhões de hectares). As três principais culturas da agricultura brasileira são arroz, milho e soja. Juntos, eles representam 92,5% da estimativa da produção e responderam por 85,5% da área a ser colhida, segundo o IBGE. Para a soja, é esperado aumento de 6,4% na área plantada e de 11,7% na produção. Para o arroz, os hectares com a cultura devem aumentar 1%, enquanto a produção subirá 6,3% no ano. Por fim, para o milho, espera-se diminuição de 1,2% do terreno plantado e redução de 6% na produção na comparação com 2013.

“Cabe ressaltar, que as variáveis informadas no presente levantamento foram coletadas até a 2ª quinzena de janeiro, não tendo ainda registrado os efeitos negativos das elevadas temperaturas e da baixa pluviosidade que afeta, principalmente as regiões Sul e Sudeste do país”, ressalva o IBGE.

Diferença – Além dos tipos de grãos pesquisados, as estimativas da Conab e do IBGE diferem em termos de metodologia, critérios para a amostragem e época do levantamento. Enquanto a Conab trabalha com ano-safra, que vai de abril a março do ano seguinte, o IBGE usa anos-civis, de janeiro a dezembro.

Continua após a publicidade

Publicidade