Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

IBGE: pardos se tornam maioria, e população chega a 205,5 milhões

Participação no total chegou a 46,7%, superando o total dos que se declaram brancos; população idosa avançou 1 milhão em um ano

Por Da redação Atualizado em 24 nov 2017, 16h28 - Publicado em 24 nov 2017, 16h03

A população brasileira cresceu 3,4% entre 2012 e 2016, chegando a 205,5 milhões de habitantes, segundo  dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua revelados nesta sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O número de pessoas que se declararam pardas subiu no período, de 45,3% para 46,7% do total, passando a ser a maioria no país.

  • Até 2014, a maior parcela da população era branca. Segundo os dados da Pnad, a proporção de brancos passou de 46,6% para 44,2% no período. A parcela de pessoas que se declararam negras também cresceu, de 7,4% para 8,2% do total.

    (A matéria continua após o gráfico)

    A coordenadora da Pnad Contínua, Maria Lúcia Vieira, afirma que a tendência do crescimento da população parda já vinha sendo detectada há algum tempo. “O crescimento é natural por causa da miscigenação do país, e a questão da afirmação da cor pode explicar o fenômeno também”, disse  a especialista a VEJA.

    Desde 2007, as Pnads do IBGE vêm mostrando que a soma da população identificada como de pele preta e parda supera aqueles que se consideram brancos.

    Continua após a publicidade

    Envelhecimento

    Além do aumento total, a população seguiu envelhecendo em 2016. Na passagem de 2015 para o ano passado, 1 milhão de brasileiros entrou na faixa etária de 60 anos ou mais. Atualmente, eles são 14,4% dos 205,5 milhões da população nacional estimada pela Pnad Contínua. Em 2012, quando começa a série estatística da pesquisa, essa faixa etária respondia por 12,8% da população.

    Em quatro anos, são 4 milhões de brasileiros a mais na faixa acima de 60 anos, aumento de 16%. É como se todos os habitantes do Espírito Santo passassem a essa faixa, entre 2012 e 2016.

    Na outra ponta, o contingente populacional na faixa etária de zero a 9 anos encolheu 4,7%. São 1,3 milhão de crianças a menos nessa faixa. Com isso, o porcentual da população enquadrada nesses limites caiu de 14,1% em 2012 para 12,9% em 2016.

    Regiões

    Regionalmente, o Norte é onde a população é mais jovem. Lá, as pessoas com 60 anos ou mais representam 9,2% do total, comparado aos 17% da faixa etária de zero a 9 anos, conforme os dados de 2016. Só que a região Norte tem apenas 8,5% do total da população brasileira, com 17,427 milhões de habitantes. O menor contingente populacional está no Centro-Oeste, com 15,545 milhões de habitantes, ou 7,6% do total em 2016. A maior parte dos brasileiros (86,361 milhões de pessoas) vive no Sudeste.

    Sexo

    Além disso, conforme os dados divulgados nesta sexta-feira pelo IBGE, as mulheres representavam 51,5% do total de 205,5 milhões. Os homens respondiam por 48,5% do total. Segundo o IBGE, não foi verificada alteração nestas participações entre 2012 e 2016.

    (Com Estadão Conteúdo)

    Continua após a publicidade
    Publicidade